Paulo Morais pede a Marcelo que deixe o Conselho de Estado

O candidato presidencial, Paulo Morais pediu hoje a Marcelo Rebelo de Sousa que deixe o seu lugar no Conselho de Estado, alegando incompatibilidade de funções. Para o candidato e ex-Vice-Presidente da Câmara do Porto, entrar na corrida a Belém é incompatível com qualquer cargo politico que se desempenhe.

Paulo MoraisPara Paulo Morais, a candidatura a Presidente da Republica é “incompatível com qualquer cargo politico e até publico”, acrescentando que “o exercício do cargo de conselheiro de estado tem uma dignidade institucional e constitucional que não é compatível com uma candidatura”.

O candidato a Presidente da Republica, que apresentou a sua candidatura no Porto acrescenta ainda que “numa situação de alguma instabilidade política que vivemos em Portugal, o Conselho de Estado pode ser convocado a qualquer momento”, acrescentando que é “necessário que os conselheiros, e em particular os que foram nomeados pelo Presidente da República, estejam numa situação de total independência face à análise da actual situação política”.

Paulo Morais era antes de se anunciar como candidato presidencial, Presidente da Associação Cívica Transparência e Integridade, cargo do qual abdicou assim que anunciou publicamente a sua candidatura, seguimento a mesma linha de entendimento que segue agora que pede a Marcelo Rebelo de Sousa que abdique do seu cargo como Conselheiro de Estado.

Entretanto nos últimos dias têm também surgido nas redes sociais alguns comentários relativamente ao facto de Marcelo Rebelo de Sousa ser o Presidente da Fundação da Casa de Bragança, um lugar ligado à causa monárquica portuguesa.

Descomplicador:

Paulo Morais, também candidato à Presidência da Republica, pediu a Marcelo Rebelo de Sousa para deixar o cargo de Conselheiro de Estado, alegando incompatibilidade de funções, especialmente num momento destes da vida politica portuguesa. Para Paulo Morais é essencial que os conselheiros do Presidente da Republica “estejam numa situação de total independência face à análise da actual situação política”.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *