Ferro Rodrigues disposto a ser Presidente da Assembleia da República

ferro rodriguesFerro Rodrigues, ex-secretário-geral do Partido Socialista, garantiu esta quarta-feira estar disponível para presidir à Assembleia da República na próxima legislatura. À saída da conferência de líderes parlamentares que decorreu esta tarde no Parlamento, o ex-dirigente socialista assegurou que estaria disposto a assumir o cargo e recordou que já tinha manifestado esta posição “há muito tempo”.

Apesar de Ferro Rodrigues se mostrar disponível para exercer a função levada a cabo por Assunção Esteves nos últimos quatro anos, o ex-secretário-geral do PS não exclui a hipótese de vir a fazer a parte de um Governo liderado pelos socialistas. Ferro Rodrigues adianta mesmo que se tivesse a possibilidade de escolher entre os dois cargos não seria tarefa fácil: “fica-se sempre dividido entre fazer parte da história de uma forma ou de outra”. No entanto, o antigo líder dos socialistas assegura “que das duas formas se pode fazer parte da história”, não revelando qual a sua preferência.

Da ala socialista este não é o único nome que tem surgido para ser a personalidade indicada para o cargo de Presidente da Assembleia da República. Junto a Ferro Rodrigues, têm surgido nos últimos dias os nomes de Carlos César, presidente do PS, e de Alberto Martins. O primeiro nome parecia reunir algum consenso à esquerda mas o próprio Carlos César já pôs de parte essa possibilidade. Já o nome de Alberto Martins tem aparecido como o favorito da ala segurista do PS e podia ser dos três aquele que mais simpatia gera na coligação PàF.

O cargo de Presidente da Assembleia da República tem sido sempre desempenhado por uma figura pertencente ao partido mais votado nas eleições. Nesse caso, seria previsível que o candidato apresentado pela coligação PàF acabasse por ser eleito. No entanto, existe um novo quadro político que pode vir a criar uma situação inédita em Portugal mas comum em muitas democracias europeias: o Governo ser composto por um conjunto de partidos que não foram individualmente os mais votados mas que juntos obtêm a maioria dos assentos parlamentares. Esta situação pode influenciar também a escolha do Presidente da Assembleia da República, já que quem vota são os deputados eleitos através de voto secreto.

Para além de um eventual Governo liderado pelo PS, o parlamento pode vir a contar com um presidente que seja também ele socialista. Este será um tema que também estará a ser discutido nas negociações feitas pelos partidos de esquerda e que visam a formação de um Executivo para quatro anos chefiado pelos socialistas. A eleição do Presidente da Assembleia da República vai ter lugar na próxima sexta-feira à tarde e as candidaturas podem ser entregues até duas horas antes do início da primeira sessão parlamentar do novo parlamento.

Descomplicador:

Ferro Rodrigues tem sido um dos nomes que têm sido indicados para suceder a Assunção Esteves na presidência da Assembleia da República. O ex-secretário geral do PS afirmou esta tarde que está disponível para assumir o cargo e garantiu já ter dito que “sim há muito tempo”. O novo quadro parlamentar, que conta com uma maioria formada pelo conjunto dos partidos de esquerda, pode facilitar a eleição de um socialista para o cargo.

Publicado por: José Pedro Mozos

23 anos, natural de Lisboa. Aos dezasseis anos percebeu que a sua vocação era o jornalismo. Licenciado em jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós graduado em Jornalismo Multiplataforma pela FCSH - Universidade Nova de Lisboa. Entre março de 2016 e junho de 2017 passou pela SIC Notícias. Faz parte da editoria de política da Revista VISÃO desde julho de 2017. Acredita no jornalismo como sendo um dos pilares de qualquer democracia. Atualmente, faz parte do Conselho Editorial do Panorama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *