Presidente do Parlamento deve sair da ala socialista. Miranda Calha pode conduzir primeira reunião

O próximo presidente da Assembleia da Republica deverá mesmo sair do Partido Socialista. A dúvida está entre Ferro Rodrigues e o presidente do PS, Carlos César. Os seguristas apontavam para Alberto Martins mas a hipótese parece não ter ganho força suficiente. Júlio Miranda Calha deve conduzir a primeira reunião, caso o PSD e o CDS não imponham Teresa Caeiro.

Miranda CalhaPara já a indecisão é que vai conduzir a primeira reunião da Assembleia da Republica. Assunção Esteves seria convidada a conduzir de forma interina a reunião inaugural, mas visto não se ter recandidatado a escolha terá de recair sobre outro nome. O vice-presidente afecto ao PSD, Guilherme Silva também não se recandidatou, recomendando assim os serviços do Parlamento que o nome escolhido seja Júlio Miranda Calha.

O nome afecto ao Partido Socialista cumpre o “critério da representatividade” e foi vice-presidente na anterior legislatura. Caso o critério seja o do partido/coligação pré-eleitoral que venceu aí será o nome de Teresa Caeiro do CDS a ser colocado como hipótese mais forte. Caso a hipótese seja também o deputado mais antigo da “casa”, Miranda Calha continua a estar na “pole-position” por ter integrado a Assembleia Constituinte.

Depois da escolha do nome que vai conduzir de forma interina a primeira reunião abre-se um outro debate. À partida será mesmo o Partido Socialista a indicar o nome do candidato a presidente da Assembleia da Republica, no entanto dentro do partido surgiram já várias sensibilidades.

Carlos CésarEduardo Ferro Rodrigues foi dos primeiros nomes a ser referido para o cargo, tendo sido até indicado por Francisco Louçã num dos seus espaços de comentários como alguém capaz de estabelecer as pontes necessárias. Ainda assim, os seguristas querem também fazer valer a sua posição e estão a tentar dar força ao nome de Alberto Martins.

Na bancada socialista o nome preferido de António Costa é no entanto o de Carlos César, actual presidente do partido, mas a escolha entre César e Ferro Rodrigues não foi ainda oficializada pelo Secretário-Geral do Partido Socialista. Recorde-se que a votação para o cargo de presidente da Assembleia da Republica é secreta, mas o PS disse “esperar uma votação unânime de todos os socialistas”.

Entretanto ao final da manhã o jornal i deu conta que Carlos César não pretende ser presidente da Assembleia da Republica, devendo assumir ou a liderança do Grupo Parlamentar ou um lugar como Ministro da Presidência. A confirmar-se este cenário, Ferro Rodrigues deverá mesmo ser o nome proposto pelo PS.

Há quatro anos atrás o PSD teve dificuldades em fazer eleger o seu candidato, depois do nome de Fernando Nobre ter sido recusado por duas vezes, abrindo assim lugar ao nome de Assunção Esteves, eleita logo na primeira tentativa.

Descomplicador:

O próximo presidente da Assembleia da Republica deve sair do Partido Socialista, mas a dúvida está ainda entre Carlos César e Eduardo Ferro Rodrigues. Os seguristas tentam dar força ao nome de Alberto Martins. A primeira reunião deverá ser gerida de forma interina por Miranda Calha.

 

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *