“Não há coligações aceitáveis e outras banidas”. Ferro Rodrigues inicia mandato com recados a Cavaco Silva

O recém-eleito presidente da Assembleia da Republica, Ferro Rodrigues, iniciou o seu mandato com recados ao Presidente da Republica, Aníbal Cavaco Silva. O militante socialista disse que “nenhum representante do povo está impedido de contribuir para o futuro do país. Assim como não há deputados de 1ª e de 2ª, também não há grupos parlamentares de 1ª e de 2ª, também não há coligações aceitáveis e outras banidas”, criticando ontem o discurso de Cavaco Silva.

Ferro RodriguesFerro Rodrigues começou por saudar Assunção Esteves pela forma como “soube desempenhar com o seu humanismo e a sua competência soube dignificar o cargo num tempo complexo e numa legislatura exigente”, dizendo também que o começo de uma nova legislatura é “um momento de renovada esperança”. O ex-Secretário-Geral do PS recordou alguns dos parlamentares dos quais ficou com boas recordações, nomeando entre outros, “Raul Rego, Jaime Gama, Lobo Xavier, João Cravinho”.

Depois das recordações iniciais, Ferro Rodrigues começou com os recados a Cavaco Silva dizendo que “a democracia é um regime de separação de poderes, em que a oposição tem um estatuto tão importante como o do Governo”, para logo acrescentar que “temos o direito de exigir o respeito pela soberania da Assembleia da Republica”.

António Costa reforçou à saída da primeira sessão plenária a mensagem de Ferro Rodrigues de que “não há um deputado que valha menos do que outro”, frase que foi também utilizada pelo agora eleito presidente do Parlamento.

Direita critica eleição de Ferro Rodrigues e acusa-o de falta de isenção

Luís MontenegroLuís Montenegro, líder parlamentar do PSD lamentou que “que Ferro Rodrigues tenha sido eleito em confronto com esta tradição”, a de eleger um presidente oriundo do partido vencedor. Montenegro recordou que “o povo português escolheu Pedro Passos Coelho para liderar o Governo” e disse que Ferro Rodrigues começou mal o seu mandato, tendo ficado “com a sensação que as garantias de isenção e imparcialidade estão ainda longe de ser garantidas”.

Nuno Magalhães, pelo CDS, seguiu a linha discursiva do seu colega do PSD, dizendo que Ferro Rodrigues não começou o seu mandato já com “o fato vestido de Presidente da Assembleia da Republica”.

Na ala esquerda do Parlamento, António Costa falou em nome do PS, disse que “o mérito não se apura pelo resultado dos votos, mas pela qualidade e da acção com que cada um trava o combate político” e que “todas e todos os deputados têm a mesma dignidade e o mesmo estatuto naquilo que é a expressão da vontade dos portugueses”.

Pedro Filipe Soares do Bloco de Esquerda rejeitou também a “tradição” de eleger um presidente do partido vencedor, dizendo que “em democracia mandam os votos e não as tradições. Não há nenhuma destas estátuas que represente as tradições parlamentares”.

Descomplicador:

Ferro Rodrigues enviou no seu primeiro discurso enquanto presidente da Assembleia da Republica um conjunto de recados a Cavaco Silva, dizendo que “nenhum representante do povo está impedido de contribuir para o futuro do país. Assim como não há deputados de 1ª e de 2ª, também não há grupos parlamentares de 1ª e de 2ª, também não há coligações aceitáveis e outras banidas”.

 

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *