Esquerda estuda moção de rejeição conjunta

O Partido Socialista, o PCP e o Bloco de Esquerda estão a estudar a apresentação de um texto único de rejeição ao Governo liderado por Pedro Passos Coelho. Tomada que está já a decisão de não viabilizar o novo elenco governamental, discutem-se agora os detalhes sobre a forma como o fazer.

Assembleia da Republica ParlamentoTendo em conta que após a aprovação da primeira moção o Governo fica automaticamente inviabilizado, não faz sentido que existam depois mais duas moções para aprovar. Assim os partidos da ala esquerda esperam poder apresentar um texto único que será também uma forma de mostrarem a sua unidade.

Ainda segundo o Diário de Noticias, essa moção poderá incluir já uns indicios daquilo que será o programa de governação das esquerdas, num texto que está ainda a ser discutido. Ainda assim, o mesmo jornal avança que esse acordo entre a ala esquerda pode ser apresentado publicamente antes da moção de rejeição, com uma cerimónia pública de compromisso.

Ontem na eleição do Presidente da Assembleia da Republica, o PCP, Os Verdes e o Bloco de Esquerda votaram ao lado do Partido Socialista, ajudando assim a eleger Eduardo Ferro Rodrigues com 120 votos, contra os 108 votos atribuídos ao candidato da direita, Fernando Negrão.

Descomplicador:

O PS, o PCP e o Bloco de Esquerda estão a estudar a apresentação de uma moção de rejeição única, em vez da apresentação de três textos em separado. O Diário de Noticias diz até que esse texto poderá apresentar já indicios de um programa de Governo das esquerdas.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *