Jerónimo de Sousa: “não andamos à procura de lugares de poder”

Jerónimo e CostaEm entrevista à TVI, Jerónimo de Sousa assegurou que o PCP não está “à procura de lugares de poder” e que não ira ceder a pressões nas negociações com o PS. O secretário-geral dos comunistas garantiu ainda que as conversações para a formação de uma alternativa de Governo à esquerda estão “bem encaminhadas”.

Judite Sousa tentou por diversas vezes que o líder do PCP respondesse a questões sobre os moldes em que o acordo entre PS e PCP está a ser feito, mas Jerónimo de Sousa escusou-se sempre a comentar os detalhes por considerar que se respondesse a essas questões estaria a “ser desleal” . O secretário-geral dos comunistas sublinhou ainda assim que “o PCP está fortemente empenhado” na solução de o PS vir a formar Governo.

Apesar da recusa em comentar os detalhes do acordo que está a ser negociado, Jerónimo de Sousa qual e espírito do PCP nas conversações com o PS. O líder dos comunistas começou por avançar que o seu partido se encontra “de boa fé” a negociar com os socialistas e que se pautado por umas conversações com “honestidade e seriedade”. Jerónimo de Sousa afirmou que “estar no Governo não é determinante” para o PCP “neste processo”.  E prosseguiu: “não andamos à procura de lugares de poder nem de favores de ninguém. Não abdicamos da nossa identidade, do nosso projeto em troca de qualquer parcela de poder”, acrescentou.

Jerónimo de Sousa comentou ainda qual é a sua expetativa em relação à decisão que Cavaco Silva vai tomar quando o Governo de Passos Coelho cair na Assembleia da República. O secretário-geral do PCP garantiu que espera que o Presidente da República indigite António Costa para formar um novo Executivo para evitar uma instabilidade governativa que, no entender de Jerónimo de Sousa, teria a exclusiva responsabilidade de Cavaco Silva.

Descomplicador:

Jerónimo de Sousa esteve este sábado em entrevista à TVI. Questionado sobre as conversações que o PCP e o PS têm mantido para a criação de uma solução alternativa de Governo, o líder comunista assegurou que as negociações estão “bem encaminhadas” e que da parte do PCP não existe a preocupação de tentar garantir “lugares de poder”.

Publicado por: José Pedro Mozos

23 anos, natural de Lisboa. Aos dezasseis anos percebeu que a sua vocação era o jornalismo. Licenciado em jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós graduado em Jornalismo Multiplataforma pela FCSH – Universidade Nova de Lisboa. Entre março de 2016 e junho de 2017 passou pela SIC Notícias. Faz parte da editoria de política da Revista VISÃO desde julho de 2017. Acredita no jornalismo como sendo um dos pilares de qualquer democracia. Atualmente, faz parte do Conselho Editorial do Panorama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *