As primeiras reações ao novo Governo de Passos Coelho

A composição do novo Governo já é conhecida e as críticas não se fizeram esperar. António Costa foi o primeiro a reagir, através do seu facebook oficial, à lista divulgada esta terça-feira com os nomes do novo Executivo que Passos Coelho estava encarregue de formar. O líder socialista a lista deste novo Governo é a demonstração de uma “continuidade sem evolução”. O secretário-geral do PS considera assim que a lista dos novos governantes é o reflexo de “uma coligação de direita esgotada em si mesma”. Em modo de conclusão, António Costa salientou mesmo que a nova formação espelha que se trata de “um governo sem futuro e com consciência disso”.

António CostaDo lado do PS houve uma tomada de posição oficial pela voz de Ana Catarina Mendes, que seguiu a linha de António Costa. A deputada eleita pelo círculo de Setúbal dirigiu-se aos jornalistas na Assembleia da República e falou de um Governo com “os dias contados”. Ana Catarina Mendes afirmou que o PS está empenhado na formação de uma “alternativa de Governo credível”, que se paute pelo “rigor e seriedade”, revelando ainda as negociações à esquerda estão “a ser muito produtivas”.

Maria de Belém esteve de visita ao campo tecnológico da Universidade do Porto e à margem desse evento foi questionada pelos jornalistas quanto à nova composição do Governo. A candidata independente à Presidência da República disse ainda não ter tido tempo para avaliar “o elenco” mas destacou o facto de haver um Ministério da Cultura. Para Maria de Belém a cultura “não pode ser uma coisa que fica sempre para trás” e é um sinal positivo dentro da lista revelada ao início desta tarde.

Bloco EsquerdaJá do lado do Bloco de Esquerda, Catarina Martins esteve a prestar declarações aos jornalistas sobre o caso de Luaty Beirão mas foi questionada sobre o novo Governo. A líder bloquista recusou alongar-se em comentários sobre os novos governantes mas destacou pela negativa a nomeação de Calvão da Silva para o Ministério da Administração Interna devido ao fato de ter estado ao lado de Ricardo Salgado na luta contra o Banco de Portugal.

O ex-dirigente do Bloco de Esquerda João Semedo reagiu ao nome apontado para o Ministério da Saúde. O ex-deputado que exerceu a profissão de médico considerou, através do facebook, que Leal da Costa, o novo Ministro da Saúde, “não vai aquecer o lugar, nem elevar o Ministério. Vai inflamar o debate e rebaixar a política”.

Houve ainda mais um partido da ala esquerda do Parlamento que reagiu através de uma nota de imprensa. O partido “Os Verdes” considera e lamenta “que a constituição do Governo proposta por Pedro Passos Coelho demonstra uma efetiva vontade de continuação de toda a lógica política prosseguida nos últimos quatro anos”.

O XX Governo constitucional tomará posse na sexta-feira e ao que tudo indica irá cair quando apresentar o seu programa na Assembleia da República devido às moções de rejeição que serão apresentadas por PS, BE e CDU.

(em atualização)

Publicado por: José Pedro Mozos

23 anos, natural de Lisboa. Aos dezasseis anos percebeu que a sua vocação era o jornalismo. Licenciado em jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós graduado em Jornalismo Multiplataforma pela FCSH – Universidade Nova de Lisboa. Entre março de 2016 e junho de 2017 passou pela SIC Notícias. Faz parte da editoria de política da Revista VISÃO desde julho de 2017. Acredita no jornalismo como sendo um dos pilares de qualquer democracia. Atualmente, faz parte do Conselho Editorial do Panorama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *