Blogger saudita chicoteado vence Prémio Sakharov

Raif Badawi, o blogger saudita que foi condenado a 10 anos de prisão e a 1000 chicotadas foi o vencedor do Prémio Sakharov atribuído pelo Parlamento Europeu. Este prémio distingue a liberdade de pensamento e neste caso especifico centra as atenção internacionais para um caso que reclama novamente atenção tendo em conta que a segunda fase de chicotadas está prevista para breve.

Raif BadawiMartin Schulz, presidente do Parlamento Europeu, disse esta manhã após a atribuição do prémio que “este homem, um homem extremamente bom, um homem exemplar, recebeu uma das penas mais terríveis que existem no seu país, no que apenas pode ser descrito como um acto de tortura brutal”, referindo-se assim a esta pena de mil chicotadas a que foi condenado na Arábia Saudita.

O presidente do Parlamento Europeu pediu assim ao Rei da Arábia Saudita que pare a execução da pena, liberte Raif Badawi e o permita viajar para junto da sua família que se encontra no Canadá para onde fugiu devido às inúmeras ameaças de morte que recebeu. Schulz tem ainda a esperança que Badawi possa viajar até Estrasburgo para receber o prémio em Dezembro.

Raif Badawi é o criador do blog Rede Liberal Saudita, que discutia questões politicas e religiosas da Arábia Saudita, tendo sido com este blog acusado de insultar o Islão e indiciado por vários crimes. Detido em 2012, Badawi foi inicialmente condenado a sete anos e 600 chicotadas, tendo em 2014 a pena sido revista para dez anos e mil chicotadas.

Perante centenas de espectadores, Raif Badawi foi castigado com as primeiras 50 chicotadas em Janeiro de 2015. A restante execução da pena foi adiada devido à debilitada saúde de Badawi, que segundo a sua mulher não resistirá a uma próxima execução da pena. Segundo a sua mulher, que fugiu com os três filhos para o Canadá, a Arábia Saudita deu já ordem para reiniciar o processo de flagelação.

O prémio Sakharov atribuído em homenagem a Andrei Sakharov, um fisico russo que se tornou um dos maiores dissidentes, é atribuído anualmente pelo Parlamento Europeu desde 1985. Nos últimos anos o prémio foi conquistado por Denis Mukwege (2014), médico congolês especialista em tratar danos decorrentes de violações e pela jovem Malala (2013). Este ano os restantes finalistas eram a oposição venezuelana e Boris Nemtsov, a titulo póstumo.

Descomplicador:

O blogger Raif Badawi, condenado a dez anos de prisão e mil chicotadas na Arábia Saudita venceu o Prémio Sakharov, atribuído pelo Parlamento Europeu, que pediu a sua libertação ao Rei da Arábia Saudita para que possa regressar para junto da sua família e para receber o prémio em Dezembro.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *