Orçamento do Porto vira PSD “do avesso”. Ex-presidente mantém-se à margem

O orçamento da Câmara Municipal do Porto provocou rupturas graves no seio do PSD local. Os vereadores sociais-democratas votaram a favor do orçamento apresentado por Rui Moreira, mas a concelhia local acusou o vereador Alberto Amorim Pereira de “frete politico” ao presidente da autarquia, acrescentando ainda que o vereador “não respeitou as instruções do partido”. O ex-presidente da concelhia, Ricardo Almeida mantém-se à margem dos problemas como explicou ao Panorama, garantindo que se reuniu com a concelhia do partido.

Rui MoreiraO orçamento para 2016 da Câmara do Porto foi aprovado com onze votos a favor e apenas um voto contra do vereador da CDU, Pedro Carvalho e com a abstenção de Ricardo Almeida, vereador do PSD e ex-presidente da concelhia do Porto.

A polémica surge porque do PSD, Alberto Amorim Pereira e Ricardo Valente votaram favoravelmente este documento, o que provocou a reacção de Miguel Seabra, presidente da concelhia do Porto do PSD. Miguel Seabra diz não perceber “o porquê da alteração do sentido de voto de Amorim Pereira face a um orçamento sem alterações substantivas face ao anterior e em relação ao qual se absteve”, acrescentando que “esta atitude tem a ver com algum frete político que Amorim Pereira quer fazer a Rui Moreira”.

À Agência Lusa, Alberto Amorim Pereira diz prestar todas as explicações ao partido “quando alguém do PSD Porto as pedir”, dizendo não ter sido ainda contactado, “nem antes nem depois da votação do orçamento”. Esta votação, que a autarquia diz ter acontecido pela primeira vez em democracia, foi aliás alvo de destaque por parte de Rui Moreira na sua coluna de opinião no Correio da Manhã, onde diz que “a votação «fora da caixa» de Amorim Pereira e Ricardo Valente, ainda que contra a orientação da sua concelhia, será o primeiro sinal de que alguma coisa está a mudar nos partidos e uma rejeição dos truques dos diretórios?”. Ainda assim, Nuno Santos, assessor do presidente da autarquia diz que “a Câmara não comenta o que diz o PSD Porto”.

Ex-presidente do PSD Porto abstém-se e mantém-se à margem

Ricardo Almeida PSD PortoMiguel Seabra, actual presidente da concelhia do PSD Porto, sucedeu a Ricardo Almeida que agora é vereador pelos sociais-democratas na Câmara do Porto, a par de Alberto Amorim Pereira e de Ricardo Valente. Ao Panorama, Ricardo Almeida explica que “o documento é muito idêntico ao do ano passado nas suas virtudes e nos seus defeitos” e que se reuniu com a concelhia do partido para analisar o documento final.

Ao Panorama, Ricardo Almeida diz ainda que tem “reunido com a concelhia regularmente” e que tem “procurado sempre articular as minhas posições com as do PSD, pois eu fui indicado para a lista de vereadores pelo meu partido”. Ainda assim o ex-presidente da concelhia considera não fazer mais do que a sua “obrigação”, acrescentando ainda que “se entender que as posições do partido são erradas, temos fóruns próprios para trocar argumentos”, dizendo ainda que só pode “falar por si”.

Ricardo Almeida que actualmente trabalha numa consultora, justifica a sua abstenção com as semelhanças face ao ano passando destacando o sobredimensionamento “da receita com a colocação de vendas irreais como a venda da quota por 15 milhões do mercado abastecedor, ou a venda de património em 18 milhões de euros”, concluindo ao dizer que “por uma questão de coerência, porque nada mudou, abstive-me”.

O ex-presidente do PSD Porto e actual vereador diz ainda ao Panorama não comentar as criticas do presidente da concelhia actualmente, por não lhe “dizerem respeito”. Ricardo Valente, um dos dois vereadores do PSD que votou a favor do orçamento foi também contactado pelo Panorama mas disse não responder a nada por agora.

Alberto Amorim Pereira investigado sobre contratos com Luís Filipe Menezes

Alberto Amorim Pereira PSD PortoAlberto Amorim Pereira está actualmente a ser investigado pela PJ do Porto sobre um conjunto de contratos que a Câmara Municipal de Gaia, presidida por Luís Filipe Menezes, assinou com a sua empresa de advogados, a Amorim Pereira, Nuno Oliveira e Associados.

Segundo o Correio da Manhã, ao longo de três anos Amorim Pereira assinou com a Câmara de Gaia, contratos de serviços jurídicos na ordem dos 330 mil euros, enquanto Amorim Pereira desempenhava as funções de presidente da empresa municipal Gaiaurb.

Amorim Pereira foi ainda o mandatário financeiro da candidatura de Luís Filipe Menezes à Câmara Municipal do Porto.

Descomplicador:

Dois vereadores eleitos pelo PSD para a Câmara do Porto votaram a favor do orçamento de Rui Moreira, o que gerou criticas do presidente da concelhia local, Miguel Seabra que acusou ainda Alberto Amorim Pereira de “fretes políticos” ao actual presidente da autarquia do Porto. O ex-presidente da concelhia e actual vereador diz ao Panorama ter reunido com o partido e mantém-se à margem da polémica.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *