Passos Coelho assume oposição em caso de chumbo. Costa nega fugir ao debate

Tem sido uma tarde com os olhos postos no Parlamento. A direita acusa já António Costa de fugir ao debate por Pedro Passos Coelho, mas o Secretário-Geral do PS nega. Do lado do Governo, Pedro Passos Coelho disse já com “todas as letras”, “assumir a responsabilidade de não colaborar e de me opor a uma política de ruína”, mostrando-se assim disponível para liderar a oposição.

Pedro Passos Coelho Paulo Portas Maria Luis AlbuquerqueA direita tem vindo a acusar ao longo da tarde António Costa de estar a fugir ao debate, visto ter deixado as intervenções neste primeiro dia para outros deputados do Partido Socialista como Pedro Nuno Santos, João Galamba, Ana Catarina Mendes, entre outros. Hugo Soares, do PSD pediu aliás à mesa o nome dos deputados inscritos para intervir por forma a deixar patente que António Costa não falaria hoje.

A meio da tarde, quando António Costa saiu do plenário, questionado pelos jornalistas, negou estar a fugir ao debate com Pedro Passos Coelho. Amanhã António Costa deverá então intervir, embora numa fase do debate em que já não é possível o confronto com Pedro Passos Coelho. O actual Primeiro-Ministro disse na sua primeira resposta a Pedro Nuno Santos que “o líder do seu partido, que está aí sentado”, tentando assim provocar António Costa.

Quanto ao debate durante a tarde, Pedro Passos Coelho disse claramente “assumir a responsabilidade de não colaborar e de me opor a uma política de ruína”, mostrando-se assim totalmente disponível para liderar a oposição na Assembleia da Republica.

Pedro Passos Coelho acrescentou que vai opor-se a uma solução “em que os portugueses são vistos como meros instrumentos de jogadas políticas de poder”, para além de recusar “entrar num leilão para saber quem remove mais depressa a austeridade”.

O líder do PSD e actual Primeiro-Ministro sublinhou aliás durante a tarde que “na verdade a austeridade nunca foi uma questão de escolha, mas sim de necessidade”. O líder social-democrata não tem poupado nos ataques a António Costa recordando o episódio da saída de António José Seguro quando disse que “depois de mudarem o líder do vosso partido por ter ganho por poucochinho nas eleições europeias e depois de procurarem mostrar todos os dias que a grande diferença estaria na amplitude do resultado maioritário que obteriam nas eleições legislativas, é quase penoso ver o exercício que estão a fazer”.

Descomplicador:

Pedro Passos Coelho não tem poupado nos ataques a António Costa, referindo até o episódio da saída de António José Seguro. A direita tem acusado António Costa de fugir ao debate visto o líder do PS intervir só amanhã onde o Primeiro-Ministro já não tem possibilidade de responder.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *