Moções entregues. Acordo assinado às 13h. Passos Coelho vive últimas horas como PM

As moções de rejeição ao Governo liderado por Pedro Passos Coelho foram entregues na mesa da Assembleia da Republica pouco antes das 12h. À entrada no Parlamento hoje, António Costa avançou que os acordos serão assinados durante a interrupção da hora de almoço. Paulo Portas já discursou acusando António Costa de “não ter aceite a derrota” e não ter “negociado de boa fé com quem, por acaso, até venceu as eleições”.

Parlamento Assembleia da RepublicaCarlos César subiu à bancada da Assembleia da Republica para entregar a Ferro Rodrigues a moção de rejeição do Governo de Passos Coelho, que será a única a ser discutida e aprovada, tendo em conta que o regimento apenas permite a votação da primeira a dar entrada. Numa movimentação combinada, de seguida foi Pedro Filipe Soares que entregou a do Bloco, seguido de António Filipe pelo PCP e por fim, Heloísa Apolónia pelos Verdes.

A meio da manhã, quando entrou na Assembleia da Republica, o líder do Partido Socialista, António Costa, disse que os acordos com o PCP, o Bloco e os Verdes serão assinados durante a pausa para almoço deste último dia de discussão do Programa de Governo. No entanto, segundo o semanário Expresso, os acordos serão assinados à porta fechada por opção de Jerónimo de Sousa que não quis “cerimónias conjuntas”.

Entretanto Paulo Portas discursou já no Parlamento, pedindo ao PS para “depois não vir pedir socorro à direita”, numa intervenção inteiramente dedicada a atacar o novo acordo à esquerda, onde acusou a esquerda de “até nas moções de rejeição tiveram dificuldade em fazer uma só”. O Vice Primeiro-Ministro disse ainda a António Costa que o líder socialista prefere ser “Primeiro-Ministro por pouco tempo do que líder da oposição uma vida toda”.

O líder centrista acusou o PS de pôr Portugal dependente do Comité Central do PCP e disse mesmo que o acordo entre o PS, o PCP e o Bloco é uma “geringonça”, utilizando uma expressão de Vasco Pulido Valente, afirmando também que o programa apresentado pelo PS é uma “bebedeira de medidas” e que o problema é a “ressaca”.

Moção de Rejeição do PS AQUI

Descomplicador:

O PS, Bloco, PCP e PEV entregaram já as moções de rejeição e o acordo entre as esquerdas será assinado durante a hora de almoço. As movimentações para a queda de Passos Coelho e Paulo Portas aceleram. O Vice Primeiro Ministro disse que o programa do PS é uma “bebedeira de ideias”, dizendo que o problema é depois a “ressaca”.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *