Hollande reafirma que “França está em guerra”

Francois HollandeO Presidente francês discursou esta tarde perante as duas câmaras do Parlamento em Versalhes. Hollande voltou a afirmar que “a França está em guerra” e que o país não se irá vergar na luta contra o terrorismo. O chefe-de-estado garantiu ainda que esta situação não se trata de uma “guerra de civilizações” porque os autores dos atos terroristas que ocorreram em Paris na passada sexta-feira, dia 13, “não representam uma civilização”.

Num discurso que foi seguido em direto em todo o mundo, François Hollande considerou que os terroristas que atacaram Paris o fizeram porque a França “é a casa da liberdade e dos direitos humanos”. “Isto não é uma guerra de civilizações, porque estes assassinos não representam qualquer civilização”, acrescentou.

O Presidente francês disse que as imagens dos ataques de sexta-feira não lhe saem da cabeça e sublinhou a ideia de que é necessário dar uma resposta friamente para que estes atos sejam fortemente condenados. Por essa razão, Hollande anunciou que os ataques ao Estado Islâmico e à sua maior base (Daesh, na Síria) vão continuar e serão mesmo intensificados. Na ótica do chefe-de-estado francês países livres como a França “não se deixam impressionar com o terror” e que o regresso à normalidade e à vida sem medo são a resposta que os povos devem dar.  “Reagir contra o terrorismo” é uma capacidade de todas as democracias, disse ainda.

Uma outra proposta foi também confirmada esta tarde no discurso de Hollande: o estado de emergência no país deve ser prolongado para três meses devido ao fato de se encontrar “em guerra”. A medida será votada pelo parlamento francês já esta quarta-feira.

Desde 2009 que um Presidente de França não discursava em Versalhes para as duas câmaras do parlamento. Na altura foi Nicolas Sarkozy quem falou aos deputados para abordar a crise financeira que começava a assolar o mundo inteiro.

Descomplicador:

O Presidente francês, François Hollande, discursou esta tarde em Versalhes para reafirmar que “a França está em guerra”. Depois dos atentados terroristas da passada semana, o chefe-de-estado prometeu que será dada uma resposta a altura e garantiu que França não se vergará. Hollande confirmou ainda que pretende prolongar para três meses o estado de emergência no país. A proposta será votada esta quarta-feira.

Publicado por: José Pedro Mozos

23 anos, natural de Lisboa. Aos dezasseis anos percebeu que a sua vocação era o jornalismo. Licenciado em jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós graduado em Jornalismo Multiplataforma pela FCSH - Universidade Nova de Lisboa. Entre março de 2016 e junho de 2017 passou pela SIC Notícias. Faz parte da editoria de política da Revista VISÃO desde julho de 2017. Acredita no jornalismo como sendo um dos pilares de qualquer democracia. Atualmente, faz parte do Conselho Editorial do Panorama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *