Economia e guerra. França falha défice para atacar terrorismo

A sempre presente preocupação com as contas publicas no seio da União Europeia está a passar para segundo plano com a ameaça terrorista que paira sobre os principais países europeus. A França, como um dos países mais afectados deu já o tiro de partida informando Bruxelas que o défice não será cumprido e que o combate ao terrorismo e a segurança não serão afectadas pelo cumprimento de metas europeias.

Manuel VallsEm entrevista à France Inter Radio, o Primeiro-Ministro Manuel Valls admitiu que “o défice será largamente ultrapassado” devido ao aumento dos gastos em segurança no país. Valls colocou a segurança acima do tratado orçamental, mas distribuindo a responsabilidade por toda a União Europeia, dizendo que “é também altura da União Europeia e da Comissão Europeia perceberem que esta luta diz respeito às preocupações de França, mas também de toda a Europa”.

Para Manuel Valls, a Europa deve assim “entender” a necessidade que França tem de “enfrentar o terrorismo”. Para já o Ministro das Finanças não quantificou ainda ao certo o aumento dos custos, revelando apenas que será na ordem das centenas de milhões de euros.

François Hollande revelou ontem o aumento do investimento no sector da segurança e da defesa, revelando a abertura de 8500 vagas no sector, para além do fim dos planos de redução das forças armadas. A par disso existem ainda as despesas decorrentes do aumento de actividade militar junto à Síria. Hollande anunciou ainda num prazo de dois anos a contratação de mais de cinco mil policias.

Descomplicador:

Manuel Valls anunciou numa entrevista que a França não vai cumprir os objectivos do défice devido ao aumento dos gastos em segurança. François Hollande anunciou ontem a criação de 8500 vagas no sector da seguranla, a contratação de 5000 policias, bem como a intensificação de actividades militares que vão aumentar assim a despesa francesa em “centenas de milhões de euros”.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *