Rússia reforça ataques ao Estado Islâmcio. Encontro entre Putin e Hollande dia 26.

Vladimir PutinMoscovo anunciou esta manhã que a queda do avião russo no monte Sinai, no Egito, se deveu a uma bomba artesanal. Apesar de a informação não ter sido ainda confirmada pela investigação das autoridades egípcias, Putin respondeu de imediato e já deu ordens para que os ataques ao Estado Islâmico sejam reforçados.

A investigação russa não te dúvidas de que a queda do avião se deveu a um ato terrorista cuja autoria o autoproclamado Estado Islâmico se apressou a reivindicar. As autoridades egípcias, por sua parte, asseguram que ainda não foram encontrados indícios suficientes para que se possa classificar a queda do avião como tendo sido um ataque. No entanto, as novas declarações provenientes da Rússia serão tidas em conta na investigação em curso, garantem as autoridades.

Mas enquanto o Egito tenta averiguar as causas do acidente e depois dos ataques a Paris na sexta-feira 13, Vladimir Putin não quer perder tempo e já deu ordens para que se intensifiquem os ataques e para que se colabore com as forças francesas. A informação foi avançada esta terça-feira em comunicado enviado pelo Kremlin. Pode ler-se no comunicado que Hollande e Putin falaram por telefone esta manhã e marcaram um encontro para o dia 26 de Novembro. A reunião irá ocorrer dois dias depois de o chefe-de-estado francês ir a Washington para reunir com Barack Obama, também no âmbito do combate ao terrorismo.

A possibilidade de criar uma frente comum para combater o Estado Islâmico pode estar a ser analisada pelos três países que depois dos ataques em Paris parecem mais próximos e dispostos a colaborar para combater os terroristas. A aproximação entre Putin e Obama em relação a este tema pode ser um trunfo para a França e para os ataques ao Daesh.

As forças francesas, por sua vez, voltaram a bombardear Raqqa, a capital do Estado Islâmico esta noite. Esta ataque teve a colaboração dos Estados Unidos. Desde os ataques terroristas em Paris na passada sexta-feira que a França intensificou as investidas na Síria e esta novo bombardeamento é o segundo em menos de 24 horas.

Descomplicador:

A Rússia vai intensificar os ataques ao  autoproclamado Estado Islâmico e começar a colaborar com a França neste domínio. Depois de a investigação russa ter concluído que o ataque ao avião que se despenhou no monte Sinai, no Egito, Vladimir Putin deu ordens para que se intensifiquem os ataques. O chefe-de-estado russo e Hollande vão reunir-se no próximo dia 26 para discutir a melhor estratégia para combater o Estado Islâmico.

Publicado por: José Pedro Mozos

22 anos, natural de Lisboa. Aos dezasseis anos percebeu que a sua vocação era o jornalismo. Licenciado em jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Socia e pós graduado em Jornalismo Multiplataforma pela FCSH - Universidade Nova de Lisboa. Foi comentador num programa da rádio da sua faculdade sobre actualidade política; editor de música da ESCS Magazine e escreveu para o site Bola na Rede. Acredita no jornalismo como sendo um dos pilares de qualquer democracia. Atualmente, é jornalista na SIC Notícias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *