Dez homens armados fazem 170 reféns em hotel no Mali

mali políciaUm grupo de homens armados atacaram esta manhã um hotel em Bomako (capital do Mali) e fizeram 170 reféns, dos quais 140 são hóspedes e 30 funcionários. A informação foi confirmada pela rede hoteleira Rezidor, gerente do estabelecimento que está a ser alvo de ataque. Fontes citadas pelo jornal “Telegraph” garantiam que seriam dez atacantes jiadistas que estariam a atacar o hotel Radisson. Há pelo menos três vítimas mortais confirmadas, uma das quais é francesa.

Os jiadistas entraram no hotel enquanto gritavam “Alá é grande!” e estavam munidos com armas automáticas e granadas. Inicialmente, as primeiras informações indicavam que havia apenas dois atacantes. No entanto, vários órgãos de comunicação social anunciaram que seriam dez os homens que estavam a levar a cabo esta ofensiva.

Antes de o hotel ter sido invadido foram ouvidos tiros no exterior. “Tudo acontece no sétimo piso. Os jiadistas estão a disparar no corredor”, afirmou à agência France Press uma fonte dos serviços de segurança. Os atacantes terão chegado ao local numa viatura com matrícula diplomática.

Existe a probabilidade de que este ataque esteja relacionado com os ataques de Paris e com o autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) devido ao facto de haver grupos terroristas no Mali que, recentemente, declararam apoio ao Daesh. Minutos depois a polícia chegou ao local, montou um perímetro de segurança e começou a analisar a situação. Pelo menos dois seguranças do hotel ficaram feridos.

Pouco depois de a polícia ter chegado, duas mulheres que se encontravam no interior do hotel foram escoltadas pela polícia para o exterior do edifício. Foram as primeiras de um total de 80 reféns que entretanto foram libertados. Dos 170 reféns, os atacantes jiadistas começaram por libertar aqueles que sabiam recitar versos do Corão. O canal público do Mali confirmou mais tarde o número: são já 80 os reféns libertados.

A polícia encontra-se neste momento no edifício. A operação decorre cautelosamente e as autoridades avançam andar a andar. No exterior, as fontes no local garantem que, em alguns momentos, é possível ouvir trocas de tiros.

De Paris, chegaram entretanto informações de que na operação de Saint-Denis houve mais uma jiadista que foi abatida pela polícia mas a sua identificação ainda não foi feita.

Descomplicador:

A manhã desta sexta-feira ficou marcada pelo ataque levado a cabo por dez jiadistas ao hotel Radisson na capital do Mali. Uma ofensiva que pode estar relacionada com os ataques de Paris começou por contar com um total de 170 reféns, dos quais resultaram três vítimas mortais. Desde que a polícia chegou ao local, cerca de 80 reféns foram libertados.

Publicado por: José Pedro Mozos

23 anos, natural de Lisboa. Aos dezasseis anos percebeu que a sua vocação era o jornalismo. Licenciado em jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós graduado em Jornalismo Multiplataforma pela FCSH – Universidade Nova de Lisboa. Entre março de 2016 e junho de 2017 passou pela SIC Notícias. Faz parte da editoria de política da Revista VISÃO desde julho de 2017. Acredita no jornalismo como sendo um dos pilares de qualquer democracia. Atualmente, faz parte do Conselho Editorial do Panorama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *