PSD apoia Marcelo em Dezembro e realiza congresso em Abril

O Partido Social Democrata vai ter nos próximos meses uma actividade interna intensa, com a declaração formal de apoio à candidatura de Marcelo Rebelo de Sousa, bem como com o congresso que terá de realizar para eleger novo presidente, mas que devido à nova conjuntura foi adiado de Fevereiro para Abril de 2016.

Pedro Passos Coelho Congresso PSDO caso de Marcelo Rebelo de Sousa não deve colocar grandes problemas dentro dos órgãos nacionais do PSD. Pedro Passos Coelho disse recentemente numa entrevista à RTP que o Conselho Nacional agendado para Dezembro deverá discutir o apoio formal ao candidato presidencial que é também um dos fundadores do partido. Segundo Passos Coelho esta questão “deve ser discutida no órgão mais alto do partido”, que entre congressos é o Conselho Nacional.

Pedro Passos Coelho avança ainda que o apoio deverá ser natural e que os militantes sociais-democratas “não se sentirão com certeza desidentificados com aquilo que ele possa representar na campanha presidencial”.

Entretanto a Rádio Renascença avançou que o congresso do PSD foi adiado de Fevereiro para Abril para pressionar o novo Presidente da Republica que por essa altura terá já poder para dissolver o Parlamento e convocar novas eleições.

Segundo a rádio, o congresso está agendado para os dias 1 e 3 de Abril, sendo que a partir de dia 4 de Abril a Assembleia da Republica pode já ser dissolvida. A reunião magna do partido será assim para pressionar os principais agentes políticos, marcando o tiro de partida para uma nova fase de oposição ao Governo liderado por António Costa.

Um mês antes do congresso do Partido Social Democrata vão decorrer as eleições directas que devem reeleger Pedro Passos Coelho como presidente do partido. Até ao momento não são conhecidas outras intenções de candidatura.

Descomplicador:

O PSD deverá aprovar o apoio formal a Marcelo Rebelo de Sousa num Conselho Nacional a realizar em Dezembro e entretanto adiou o congresso de Fevereiro para Abril de 2016 por forma a pressionar o próximo Presidente da Republica a dissolver o Parlamento, tendo em conta que em Abril termina o chamado “semestre branco” em que a Assembleia da Republica passa a poder ser dissolvida.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *