José Dias é o novo Presidente da A.A.Coimbra: “Uma vitória histórica”

José DiasA Associação Académica de Coimbra escolheu a continuidade. José Dias líder da Lista B, “Académica de Futuro” venceu as eleições com 4649 votos, o que equivale a 87,6% dos votos. Uma vitória esmagadora em relação à lista encabeçada João Carvalho, que apenas conseguiu 390 votos, 7,35%. A lista vencedora, encabeçada por José Dias, militante da Juventude Socialista, conseguiu renovar o mandato que lhe tinha sido atribuído nas últimas eleições. José Dias era vice-presidente da anterior direcção e prometeu uma actuação baseada numa linha de continuidade. Pelo caminho ficou o projecto “Até Quando”, de João Carvalho, militante da Juventude Comunista, que pretendia romper com as linhas da última direcção. O jovem comunista pretendia acabar com as propinas e o aumento global da qualidade de ensino, assim como do financiamento atribuído às universidades; promessas e intenções que se ficam pelas urnas. É caso para dizer que comunistas e socialistas, por agora, ainda só se entendem dentro das portas do Parlamento.

Em declarações exclusivas ao Panorama, o vencedor das eleições diz-se “satisfeito pela vitória histórica” e realça a confiança que os estudantes depositaram no trabalho até agora conseguido. A elevada percentagem de votos na lista evidencia “que a academia está unida em torno desta candidatura”, acrescenta.

A vitória fica agora para trás e o objectivo é começar a trabalhar. O novo presidente da AAC diz que depois tomar posse tem como objectivo “ aumentar o peso das actividades extra-curriculares e tornar Coimbra na capital portuguesa das soft skills, potenciar o desporto universitário, melhorar a componente do ensino por parte dos docentes e rever o Regulamento de Atribuição de Bolsas”. Um projecto muito diferente do da lista adversária e que pretende solidificar e continuar o trabalho começado pela última direcção da AAC.

Críticas ao novo Ministro do Superior e da Ciência

Universidade CoimbraEm declarações à Lusa, o novo presidente da AAC diz estar satisfeito por existir um Ministério dedicado ao Ensino Superior separado do da Educação, recordando que a fusão entre estes dois ministérios na legislatura anterior de 4 anos tirou a importância e relevância que deve ser dirigida ao Ensino Superior.

Em relação à escolha de Manuel Heitor para dirigir o Ministério do Ensino Superior e da Ciência, José Dias espera que o novo ministro “não coloque a palavra Ciência à frente de tudo”, relembrando o currículo profissional do novo ministro. O recém-eleito dirigente académico diz que “o ensino superior tem de estar no mesmo patamar de importância” e que estes dois sectores devem funcionar de forma “articulada” uma vez que se complementam.

José Dias recorda ainda o anterior mandato de Manuel Heitor no governo de José Sócrates relembrando que foi “este o Secretário de Estado que idealizou e aplicou em 2007 o RJIES (Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior)]”; uma medida bastante impopular junto do universo estudantil e que reduziu a presença do número de alunos nos órgãos directivos das instituições do ensino superior. Por isso e à partida, José Dias diz que “não é uma escolha que agrada”. No entanto, o presidenta da AAC espera para ver o que se vai suceder durante esta legislatura, não pondo de parte, “caso encontre força e legitimidade” junto de outras associações, uma reforma no sistema associativo estudantil. José Dias deixa ainda uma dica ao novo ministro ao dizer que o Ensino Superior precisa de ser “claramente reforçado”.

Abstenção

Apesar da vitória clara da lista encabeçada por José Dias, não se pode deixar de salientar a enorme taxa de abstenção. De um total de possíveis 23 mil eleitores apenas 5418 estudantes é que se dirigiram às urnas (dos quais apenas 5307 foram válidos). Isto é menos de 25% da comunidade estudantil de Coimbra.

Uma taxa muito elevada e que é frequentemente associada ao desinteresse demonstrado pelos jovens em relação às votações para Associações Académicas.

Descomplicador:

A Associação Académica de Coimbra tem um novo presidente: José Dias. Com uma percentagem de 87,6% dos votos, o novo dirigente foi eleito de forma clara. Em declarações ao Panorama, José Dias mostrou-se satisfeito com a “vitória histórica”, estipulou os principais objectivos e prometeu começar rapidamente a desempenhar as novas funções.

ygztbykr@eelmail.com'
Publicado por: Tomás Gomes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *