Moreira da Silva garante que Costa pode falar na Cimeira do Clima em Paris

Jorge Morerira da SilvaO ex-ministro do ambiente, Jorge Moreira da Silva, enviou esta segunda-feira uma nota à agência Lusa onde assegura que o novo primeiro-ministro pode discursar na Cimeira do Clima (COP21), que se realiza esta segunda e terça-feira em Paris. O esclarecimento foi prestado depois de ao longo desta segunda-feira se terem divulgado diversas notícias em que se dava conta de que António Costa não iria poder discursar neste evento porque o anterior Governo não tinha inscrito Portugal para o efeito. Esta informação foi agora desmentida por Moreira da Silva.

As primeiras informações veiculadas ao início da manhã desta segunda-feira asseguravam que António Costa não iria discursar na Cimeira devido ao facto de não ter sido inscrito a tempo pelo anterior Executivo. A “TSF” avançou mais tarde com a notícia de que uma fonte ligada ao Governo de Passos Coelho tinha garantido que o novo primeiro-ministro só não discursava se não tivesse essa intenção. No entanto, o novo ministro do Ambiente, que se encontra em Paris a acompanhar António Costa, confirmou que o líder socialista não teria inscrito: “É um facto que o senhor primeiro-ministro António Costa não estava inscrito para falar. Isso é factual”, disse João Matos Fernandes.

Foi na sequência destas notícias e dos vários telefonemas que recebeu ao longo do dia que Moreira da Silva decidiu prestar esclarecimentos. Na nota enviada à agência noticiosa e publicada na página de Facebook do ex-ministro, pode ler-se que a equipa que se encarregou da participação de Portugal nesta conferência das Nações Unidas garantiu que “o novo primeiro-ministro, caso fosse essa a sua intenção, poderia inscrever-se para discursar” na Cimeira do Clima, que reúne cerca de 196 países representados por 140 chefes de Estado e de Governo.

O ex-ministro garante assim que da parte do anterior Governo estava tudo preparado para a possibilidade de António Costa querer discursar. “Na transição de pasta, o novo Ministro do Ambiente foi por mim informado, na manhã de quinta-feira, isto é, mesmo antes da posse, que toda a preparação da COP21 estava realizada”, sublinha. Moreira da Silva considera que “só mesmo o atual governo pode clarificar a situação, dado que a mesma radica da sua vontade e das suas ações nos últimos quatro dias”.

A Cimeira do Clima tem como objetivo alcançar um acordo entre os países presentes que defina políticas para travar o aquecimento global. Portugal é um dos países que participam neste evento e faz-se representar pelo primeiro-ministro, António Costa, e pelo ministro do Ambiente, João Maros Fernandes.

Descomplicador:

António Costa não vai discursar em Paris. As primeiras notícias davam conta de que o novo primeiro-ministro não discursaria por não ter sido inscrito pelo anterior Governo. Informações que ganharam força com a confirmação dada pelo atual ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, que garantiu que António Costa não estava de facto inscrito. No entanto, Jorge Moreira da Silva, ex-ministro do Ambiente, garante ter assegurado a possibilidade de o novo primeiro-ministro discursar.

Publicado por: José Pedro Mozos

23 anos, natural de Lisboa. Aos dezasseis anos percebeu que a sua vocação era o jornalismo. Licenciado em jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós graduado em Jornalismo Multiplataforma pela FCSH – Universidade Nova de Lisboa. Entre março de 2016 e junho de 2017 passou pela SIC Notícias. Faz parte da editoria de política da Revista VISÃO desde julho de 2017. Acredita no jornalismo como sendo um dos pilares de qualquer democracia. Atualmente, faz parte do Conselho Editorial do Panorama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *