Corbyn não apoia mas dá liberdade de escolha ao Labour britânico

O Partido Trabalhista inglês, liderado por Jeremy Corbyn, anunciou que a posição oficial do partido relativamente aos bombardeamentos aéreos na Síria é negativa. O “labour” anunciou também que os deputados trabalhistas terão liberdade de voto no que a esta matéria diz respeito.

Jeremy CorbynA decisão por parte de Corbyn em permitir que os deputados trabalhistas tenham liberdade de voto nesta temática parece ter como objetivo pôr fim às divergências que a questão síria tem vindo a gerar dentro do “Labour”. O Tsipras inglês, como alguns o gostam de o apelidar, voltou esta segunda-feira a gerar bastante polémica por ter anunciado uma sondagem em que se dizia que 75% dos trabalhistas se oporiam a uma solução militar na Síria; sondagem esta que os seus opositores rapidamente vieram pôr em causa.

Será importante recordar que desde que foi eleito Corbyn prometeu “sangue novo” para o “labour” e no que toca à política externa, Corbyn propõe, por exemplo, a saída da NATO e o fim dos ataques aéreos à Síria e ao Iraque, tal como esta sua tomada de posição acaba por confirmar.

Descomplificador:

Jeremy Corbyn anunciou que a posição oficial do partido trabalhista relativamente aos bombardeamentos aéreos na Síria é de rejeição. No entanto, os deputados trabalhistas terão liberdade de voto no que a esta matéria diz respeito.

xksxja@pwrby.com'
Publicado por: Duarte Pereira da Silva

20 anos, natural de Lisboa mas "radicado" no Algarve desde cedo. Estudante de Jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social. Colabora com o site desportivo "Bola na Rede".

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *