Instituto Nacional de Estatistica cancela estudos por falta de recursos humanos

O Instituto Nacional de Estatística (INE) tem cancelado alguns estudos estatísticos devido a falta de recursos humanos. Em dez anos, 16% dos efectivos da organização saíram, para além da redução de financiamento por parte do Orçamento de Estado.

Instituto Nacional Estatistica INERecentemente um estudo foi cancelado por “escassez de recursos humanos”, uma situação que nos últimos anos tem vindo a acontecer cada vez com mais frequência ao que revela o Diário de Noticias.

Neste momento o INE tem um orçamento total ligeiramente superior a 30 milhões de euros, sendo que há nove anos atrás esse orçamento era superior a 35 milhões. Só o passado saíram da organização 34 funcionários, 22 deles por rescisão.

Neste momento o Instituto Nacional de Estatística tem cerca de 639 funcionários, para além das contratações externas para a realização de inquéritos, como aconteceu com os Censos 2011 por exemplo, somando assim mais 550 colaboradores.

Ainda assim, o Instituto Nacional de Estatística tem resultados anuais positivos, tendo tido o ano passado um excedente de 779 mil euros. Ainda assim, do orçamento anual de 30 milhões de euros, perto de 26 milhões vêm do Orçamento de Estado e apenas o restante de receitas próprias.

Ainda assim, o Instituto Nacional de Estatística tem-se mantido bastante activo, devido às necessidades de coordenação com o Eurostat, o sistema de estatísticas europeias, que necessita da colaboração das estruturas nacionais.

Fonte oficial do Instituto diz ao Diário de Noticias que “a insuficiência de técnicos superiores que, como é do conhecimento público, o INE enfrenta, pode reflectir-se negativamente, a qualquer momento, na produção e difusão das estatísticas oficiais”, alterando a organização a frequência e o método de recolha de informação, alterações essas que se farão sentir a partir de 2017.

Descomplicador:

O Instituto Nacional de Estatística tem cancelado alguns estudos estatísticos devido à falta de recursos humanos necessários. Apesar de ter excedente orçamental, o INE tem visto o seu quadro de pessoal reduzir-se de ano para ano, diminuindo assim a capacidade de resposta da organização que tem que colaborar com o Eurostat para a realização das estatísticas da União Europeia.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *