A primeira grande entrevista de António Costa como primeiro-ministro

António Costa, recém eleito primeiro-ministro, deu esta segunda-feira a sua primeira grande entrevista enquanto chefe de Governo. Na extensa entrevista dada ao Público, falou de quase tudo: da legitimidade ou não do seu Governo, das diferenças, que considera positivas, para os parceiros da frente de esquerda, da questão do Novo Banco, da sobretaxa do IRS, da importância da concertação social, das divergências dentro do próprio partido, bem como das dificuldades que poderá encontrar na União Europeia.

António Costa“Desde as eleições primárias (…) disse várias vezes que recusava esse conceito de “arco da governação”, responde Costa questionado pelos jornalistas sobre se deveria ter assumido com mais clareza a existência da possibilidade de se aliar aos partidos à sua esquerda. O líder socialista, que reforçou a convicção de que este Governo é para a legislatura, apesar das diferenças, quis falar mais do futuro do que do passado, “ (…) Acho que temos de fazer aquilo que os portugueses querem que nós façamos, que é trabalhar a partir das condições que temos (…)”.

Numa das questões relacionadas com o dia de hoje, o cancelamento da greve do metro, António Costa afirmou que é intenção do Governo é que em Lisboa e no Porto os transportes públicos sejam geridos a nível municipal.

Noutra das questões que parece mais tensão criar entre o PS e os partidos à sua esquerda, a questão do Novo Nanco, António Costa voltou a afirmar que o Governo está a trabalhar “em conjunto com o Banco de Portugal para assegurar a estabilidade do sistema financeiro português”.

No que às metas europeias diz respeito, o primeiro-ministro voltou a frisar que as obrigações internacionais são para cumprir, apesar das divergências com as atuais políticas seguidas na zona euro. Ainda sobre esta matéria, e confrontado com as declarações de Catarina Martins, que voltou a defender a renegociação da dívida, optou por se distanciar, dizendo que “as afirmações da Catarina Martins são as afirmações da Catarina Martins e as minhas afirmações são as minhas afirmações”.

Descomplicador:

António Costa, na sua primeira grande entrevista enquanto primeiro-ministro, voltou a afirmar que as metas orçamentais da zona euro são para cumprir. Confirmou a reversão das subconcessões dos transportes coletivos de Lisboa e Porto e pouco ou nada disse sobre o Novo Banco.

xksxja@pwrby.com'
Publicado por: Duarte Pereira da Silva

20 anos, natural de Lisboa mas “radicado” no Algarve desde cedo. Estudante de Jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social. Colabora com o site desportivo “Bola na Rede”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *