Angela Merkel é a personalidade do ano para a revista Time

A revista norte-americana Time escolheu hoje a personalidade do ano 2015. A chanceler alemã, Angela Merkel foi assim nomeada pelos editores de uma das revistas mais influentes do mundo, tendo sido apelidada de “chanceler do mundo livre”. O líder do Estado Islâmico, Donald Trump ou o fundador da Uber foram nomes que chegaram à lista dos finalistas.

Angela Merkel TIMEA sua actuação na questão dos refugiados pode ter sido o factor decisivo nesta escolha. Segundo a revista norte-americana, Angela Merkel combateu de “forma firme a tirania, bem como o oportunismo e ofereceu uma liderança moral firme num mundo onde esta é escassa”, intitulando-a de “chanceler do mundo livre”.

Apesar de inicialmente criticar o estilo de actuação de Angela Merkel, a Time dá agora o “braço a torcer”, dizendo que “por cada crise que apareceu, Merkel esteve à altura”, referindo o problema das dívidas soberanas, os atentados em paris, a crise na Ucrânia e a “catástrofe” dos refugiados, afirmando mesmo que Angela Merkel é “uma refugiada de um tempo e de um lugar onde o seu poder seria inimaginável” e considerando-a “a mais poderosa líder europeia”.

Na reportagem sobre a chanceler alemã, a Time aponta como algumas das maiores curiosidades o medo de cães de que sofre Merkel e que Vladimir Putin usa para a condicionar nos encontros oficiais, bem como a sua paixão por futebol, tendo estado sempre presente mos maiores acontecimentos desportivos com equipas alemãs.

Primeira mulher nos últimos 29 anos

A última mulher que tinha sido escolhida como figura do ano da Time tinha sido Corazon Aquino, a primeira presidente das Filipinas, que tinha sido escolhida no ano de 1986. A liderança da revolução que pôs fim à ditadura de Pico Iyer levou a que a Time nomeasse Aquino como personalidade do ano há perto de três décadas atrás.

Aliás, até 1999 o nome da distinção era Homem do Ano, tendo mudado apenas nesse ano, embora desde a mudança até este ano nenhuma figura feminina tivesse conquistado essa distinção. A Time utiliza como “desculpa” o facto dos principais líderes políticos e sociais serem homens, nomeadamente os presidentes dos Estados Unidos da América e da Rússia/União Soviética, bem como o Papa.

O ano passado a Time escolheu os voluntários que combateram o vírus do ébola, em 2013 o Papa Francisco e em 2012 o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que já tinha sido em 2008. O primeiro vencedor deste “galardão” foi Charles Lindbergh, em 1927, por ter sido o primeiro a sobrevoar o Atlântico, entre Nova Iorque e Paris.

Personalidades polémicas na lista de finalistas

A lista de finalistas está recheada de personalidades bem polémicas da actualidade. A começar pelo auto-proclamado líder do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi e passando pelo candidato republicano Donald Trump, que nos últimos meses tem enchido as manchetes da imprensa mundial com as suas declarações.

À lista final chegaram também os nomes do presidente do Irão, Hassain Rouhani, o CEO da Uber, Travis Kalanick, o movimento Black Lives Matter e ainda Caitlyn Jenner, transsexual que foi medalha de ouro nos Jogos Olímpicos e deu inicio a um processo de mudança de género este ano.

Descomplicador:

A chanceler alemã, Angela Merkel foi hoje escolhida como a personalidade do ano da revista Time. Apelidada como a “chanceler do mundo livre”, a forma como Merkel resolveu todas as crises deste ano foram o factor que a levaram a conquistar este “galardão”. Esta é a primeira vez nos últimos 29 anos que uma mulher conquista esta distinção.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *