Candidato à liderança da Juventude Popular quer apresentar proposta de revisão constitucional

O candidato à liderança da Juventude Popular (JP), Francisco Rodrigues dos Santos, apresentou ontem à noite em Peniche a sua moção de estratégia global, o documento orientador da sua Comissão Politica Nacional depois de oficializada a sua vitória, tendo em conta que lidera a única lista a sufrágio.

Francisco Rodrigues dos Santos JPFrancisco Rodrigues dos Santos, actual presidente da Juventude Popular de Lisboa, apontou como uma das maiores iniciativas do seu mandato, a preparação de uma proposta de revisão constitucional, construída pela Juventude Popular e que “ponha fim à ideologia na constituição portuguesa”.

O candidato a presidente da Juventude Popular, que vai suceder a Miguel Pires da Silva, falou também na “defesa da vida, da concepção até à morte”, bem como da “liberdade de ensino”, defendendo que a “escolha de uma escola não deve ser feita através do código postal” e apostando nesta liberdade de escolha de ensino como “veiculo principal de mobilidade social”.

Olhando para dentro da estrutura centrista, Francisco Rodrigues dos Santos quer que a JP se “afirme como a maior juventude partidária nacional”, crescendo pela “substância dos seus quadros” e defendendo uma liberdade profissional dos seus quadros, por entender que “quanto maior for a dependência, mais dificuldades há em mudar” o sistema politico.

Francisco Rodrigues dos Santos disse que a “juventude está farta de ser governada por gente a quem não reconhece qualidades”, apostando assim na formação dos quadros da Juventude Popular e na afirmação da estrutura a nível mediático.

No seu mandato, que vai decorrer até 2017, Francisco Rodrigues dos Santos pretende criar um “governo sombra” dentro da Comissão Politica Nacional da Juventude Popular, atribuíndo áreas especificas a cada elemento integrante do órgão máximo da juventude centrista. O futuro presidente da Juventude Popular pretende ainda visitar “todas as concelhias da JP” ao longo o seu mandato.

Descomplicador:

Francisco Rodrigues dos Santos, candidato único à liderança da Juventude Popular, apresentou ontem à noite a sua moção de estratégia global no congresso da Juventude Popular, o documento que vai orientar a acção da sua estrutura. O futuro líder da juventude centrista pretende apresentar uma proposta de revisão constitucional e transformar a JP na “maior juventude partidária nacional”.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *