Novo líder da JP reafirma tradições do CDS e coloca-se ao lado do partido na oposição

O recém-eleito líder da Juventude Popular, Francisco Rodrigues dos Santos, tomou posse esta tarde em Peniche, no 21º congresso nacional da Juventude Popular. O novo líder centrista quer reafirmar as tradições do CDS e colocou-se ao lado do partido na “oposição construtiva” ao governo socialista.

Francisco Rodrigues dos Santos JPFrancisco Rodrigues dos Santos começou a sua intervenção de tomada de posse por cumprimentar Paulo Portas, “presidente do CDS (virgula) e vice-primeiro-ministro escolhido pelo povo”, cumprimentando também as delegações da Juventude Socialista e da Juventude Social-Democrata por “reavivarem também com a presença aqui o conceito do arco da governação”.

O líder recém-eleito recordou as tradições ideológicas da Juventude Popular, como o “direito à vida da concepção até à morte natural”, bem como a “economia de mercado e o trabalho como elevado social”. Francisco Rodrigues dos Santos reafirmou algo que tinha dito ontem na apresentação da sua moção global, a de tornar a “Juventude Popular na maior juventude partidária em Portugal”, mas apostando sempre nos “quadros da estrutura”.

Francisco Rodrigues dos Santos apontou também criticas ao Partido Socialista, que acusou de “pôr fim ao arco de governação por decreto verbal”, utilizando este exemplo para falar dos tempos exigentes de futuro. Para o novo lider da JP, é essencial “o emagrecimento do estado socialista e a sua despartidarização”, abordando também a questão da liberdade de ensino, onde defendeu mais autonomia para as escolas e a possibilidade das familias escolherem as escolas.

O agora eleito presidente da Juventude Popular rejeitou ainda que se “diga que a direita não tem preocupações com o estado social”, garantindo que a sua estrutura será também “oposição construtiva a este governo formalmente legal mas sem legitimidade politica”.

Francisco Rodrigues dos Santos desafiou ainda João Almeida, presidente honorário da estrutura a ser o “deputado-padrinho” da JP, tendo em conta que nestas eleições legislativas a Juventude Popular perdeu o seu deputado ao não conseguir eleger Miguel Pires da Silva por Coimbra.

Novos órgãos da Juventude Popular tomam posse

A comissão politica nacional da Juventude Popular, liderada por Francisco Rodrigues dos Santos, integra ainda como vice-presidentes André Correia, Fábio Joaquim, Francisco Laplaine Guimarães, Francisco Mota, Hugo Nunes e Francisco Tavares como Secretário-Geral.

A mesa do congresso nacional, o órgão máximo da estrutura, é liderado por Tiago Loureiro, presidente da distrital do Porto. A presidente da distrital de Lisboa, Catarina Alves lidera os membros eleitos para o Conselho Nacional. Luís Pedro Mateus é o coordenador do Gabinete de Estudos Gonçalo Begonha.

Miguel Pires da Silva e Michael Seufert, os dois últimos presidentes da Juventude Popular foram ainda distinguidos como militantes honorários da Juventude Popular.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *