Rui Rio desperta apoiantes dentro do PSD

Rui Rio tem sido o homem por quem muitos esperam. Muitos esperavam que se candidatasse à Presidência da Republica. E agora, muitos esperam que ele concorra com Pedro Passos Coelho pela liderança do partido nas próximas eleições internas do PSD. O ex-presidente da Câmara do Porto vai deixando as possibilidades em aberto, tal como Costa veio a fazer antes de chegar a secretário-geral, tal como Costa fez antes de ser eleito primeiro-ministro. A relação entre os dois é conhecida. Dão-se bem. Terão andado a partilhar estratégias e ideias?

1974713_1071137076253510_306011330_nO ex-autarca da Câmara Municipal do Porto tem vindo a construir um percurso contra a corrente. Na sua própria cidade quis mandar tanto quantos as suas competências lhe permitiam. Colocou Pinto da Costa no lugar e acabou com uma guerra aberta com o Futebol Clube do Porto. Agora, já nem pode entrar na Dragão Caixa. Ontem a edição especial da Quadratura do Circulo, programa de comentário transmitido na SIC Noticias, era para ter sido no Pavilhão Dragão Caixa; Rui Rio dirigia-se para a conferência Portugal 2016 – O Futuro do País e das Empresas, no centro desportivo do Porto, quando lhe foi barrada a entrada. “É um episódio lamentável”, respondeu o ex-autarca portuense à proibição de Pinto da Costa. Este trabalho anti poder trouxe-lhe amarguras, mas nunca pôs em causa a opinião pública em relação ao seu trabalho no Porto.

No que toca ao PSD, as divergências com Pedro Passos Coelho nunca foram escondidas. Dentro do mesmo partido as ideias são muitas, mas as correntes acabam por convergir, a bem ou a mal, na voz do líder. Foi por isso que Rui Rio não avançou para as presidenciais, porque o PSD escolheu apoiar Marcelo e Rio não queria fracturar o partido. Agora espera-se para ver se Rui Rio vai desafiar a liderança dos sociais-democratas. Há quem diga que Passos Coelho ficou fragilizado com a queda do governo, mas o ex-primeiro-ministro já veio a publico dizer que se vai recandidatar.

O local onde foi a edição da Quadratura do Circulo foi alterado e Rui Rio finalmente teve voz par falar. Começou logo com uma previsão subtil sobre umas próximas eleições, “quando se vai para eleições já tendo estado no poder não se consegue com facilidade abrir uma janela de esperança”. Do outro lado deixou um elogio ao seu ex-colega da autarquia de Lisboa, e actual primeiro-ministro, António Costa, “tem experiência política suficiente para não cometer erros crassos”. É indissociável a relação que os dois ex-autarcas das maiores cidades de Portugal têm do trajecto que Rui Rio começou a traçar. Parece estar a apalpar terreno e a deixar umas “achas” numa e noutras fogueiras. Viu-se isso quando Rui Rio sugeriu que um entendimento entre os dois maiores partidos só seria possível se pelo menos uma das lideranças mudasse. Não foi exacto, mas deu, claramente, a entender que ele poderia conseguir esse acordo.

Costa e Rio, Rio e Costa. Tu cá, tu lá. Dois amigos, dois autarcas reputados. Agora os seus percursos parecem vir a ser idênticos. Estarão as Câmaras a tornar-se num bom centro de maturação politica? Para já tudo não passa de especulação, assim como é especular que Rui Rio faça o mesmo percurso que Costa. Mas especular é inevitável tendo em conta as mais recentes declarações do ex-autarca portuense. São caminhos que começam a ser traçados, talvez impulsionados por um derrube de governo histórico e por uma convergência histórica das esquerdas.

Descomplicador:

Rui Rio ontem foi convidado da Quadratura do Circulo. O programa teve de mudar de lugar porque o ex-autarca do Porto foi barrado à entrada. Quando, finalmente teve voz fez tremer o PSD. Disse que seria difícil Passos ganhar as próximas eleições e deixou elogios a Costa. Frases incertas que nos levam a especular.

ygztbykr@eelmail.com'
Publicado por: Tomás Gomes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *