TAP volta para o Estado garante António Costa em Bruxelas

“O estado retomará 51% do capital da TAP”, garantiu hoje o Primeiro-Ministro português, António Costa em Bruxelas. O líder do governo garantiu ainda que se a maioria do capital não for recuperada com o acordo dos accionistas maioritários, será recuperado “mesmo sem acordo”. Ainda assim, António Costa mostra-se confiante num acordo com Neeleman e Humberto Pedrosa.

TAPAntónio Costa garante que o cumprimento das medidas previstas no programa de governo não estão dependentes de “particulares que assinam acordos em situações precárias”, dizendo que David Neeleman e Humberto Pedrosa sabiam “que estavam a assinar com um governo que tinha sido demitido na véspera”. O consórcio que adquiriu 61% da TAP assinou o contrato de compra da companhia depois do executivo de Passos Coelho ter sido chumbado no Parlamento.

Para já Neeleman e Humberto Pedrosa não pretendem ficar sócios sem maioria do capital, indicando António Costa que as negociações continuam a decorrer e que “independentemente de declarações negociais que sejam feitas, o resultado final será um resultado que satisfaça todas as partes”.

Ontem à noite em entrevista à TVI, David Neeleman disse que “a TAP não tinha dinheiro nem para salários e devia 80 milhões de euros a fornecedores”, justificando assim a rapidez com que o processo foi conduzido. Uma das caras do consórcio que comprou a companhia aérea portuguesa avançou ainda que foram já colocados na empresa 180 milhões de euros e que no próximo mês serão colocados mais 120 milhões.

David Neeleman esclareceu ainda que o contrato prevê que não se possa tirar lucro até a divida estar saldada e que espera que os resultados operacionais possam começar a pagar dívida, assumindo ainda que caso os planos falhem o estado reassume a empresa em melhores condições.

Descomplicador:

António Costa disse hoje em Bruxelas que caso não chegue a acordo com David Neeleman e Humberto Pedrosa, o estado vai recuperar ainda assim a maioria do capital da TAP. O Primeiro-Ministro português está confiante de que será possível chegar a acordo, mas para já Neeleman e Pedrosa não querem ficar sem a maioria do capital da TAP.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *