“Jotas” reagem ao resgate ao BANIF

A Juventude Popular emitiu um comunicado com um conjunto de questões acerca do resgate do Banif por parte do governo, enquanto a Juventude Socialista reagiu através do seu Secretário-Geral, João Torres, que participou num fórum de debate na Económico TV. De um lado dúvidas; do outro, uma certeza: o governo agiu bem.

Juventude PopularA Juventude Popular difundiu um comunicado onde entende que “a  responsabilidade dos Governos no processo de salvação de um banco privado  deve  ser  analisada  tendo  em  conta  a  solução  adoptada  para  evitar  a sua falência”. Esta é precisamente a questão que não deixa dúvidas para João Torres, Secretário-Geral da Juventude Socialista, que diz que na Económico TV fez questão de salientar “a liderança politica deste processo, que passa por serenar os depositantes, não enganar os contribuintes portugueses”.

A “jota” centrista lamenta a “oneração  das  actuais  e  futuras  gerações, responsabilizando-as  por  actos  que  não  cometeram,  sendo-lhes  sonegada  a liberdade em troca de mais impostos e menos futuro”, pedindo assim resposta a um conjunto de questões, entre as quais: qual a razão para que a situação se tenha tornado tão urgente em poucas semanas, qual o procedimento adoptado que resultou numa venda tão rápida ao Santander e se foram ouvidos outros interessados.

Juventude Socialista JSNo total das dez questões há ainda espaço para questionar o governo por que motivo não aguardou pelas novas regras bancárias europeias e qual o motivo para ter preferido salvaguardar os depositantes acima dos 100 mil euros em vez dos contribuintes portugueses.

Já João Torres, da JS, sem dúvidas acerca da actuação de António Costa que elogia por não ter “escondido as coisas debaixo do tapete de São Bento”, acrescenta ainda que o Primeiro-Ministro deixou claro a necessidade de “assegurar a independência do Banco de Portugal e hoje o Bando de Portugal age como regulador mas também como gestor através das entidades de resolução”, sendo que no seu entender “é importante que não existam misturas de funções”.

Descomplicador:

A Juventude Popular colocou um conjunto de questões ao governo acerca da intervenção no Banif. Já a Juventude Socialista, através do Secretário-Geral João Torres, elogio a atitude de António Costa e a forma como “descansou os depositantes” e como “pretende alterar o sistema de regulação”.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *