PSOE só negoceia à esquerda sem pôr em causa a Catalunha

Apesar de manter a palavra de que não vai viabilizar um governo liderado por Mariano Rajoy, do Partido Popular, que venceu as eleições sem maioria no congresso, Pedro Sanchez, líder do PSOE mostrou em entrevista ao El País vontade em conseguir um “pacto das esquerdas”, mas com a condição de não pôr em causa a integridade de Espanha, ou seja: não há referendo sobre a Catalunha.

Pedro Sanchez PSOEPedro Sanchez, líder dos socialistas espanhóis disse em entrevista a um dos maiores jornais do país vizinho que caso venha a formar um pacto de governo esse acordo terá de excluir um referendo sobre a independência da Catalunha. Este referendo é precisamente uma das condições obrigatórias do Podemos para negociar com o PSOE, pelo que terão de existir cedências para que o acordo possa avançar.

O lider dos socialistas espanhóis acrescenta ainda que já notificou Pablo Iglesias dessa condição e que só está aberto a conversações caso o líder do Podemos abdique dessa reivindicação. Recorde-se que na Catalunha, o PP ficou em último lugar entre os quatro partidos mais votados, com o Podemos e a Democracia e Liberdade a vencerem nas regiões da Catalunha.

O PSOE vai reunir com os dirigentes regionais em breve para acertar agulhas, sendo que na Segunda-Feira vai decorrer o Comité Federal do partido para definir os pressupostos de uma negociação à esquerda, que serão depois transmitidos aos líderes dos restantes partidos com representação no Congresso.

Descomplicador:

Pedro Sanchez estabeleceu já a “linha vermelha” para negociar à esquerda: a independência da Catalunha é um assunto proibido para o líder dos socialistas espanhóis. Pedro Sanchez garante ter avisado já Pablo Iglesias dessa condição e as negociações só avançam se o líder do Podemos abdicar do referendo.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *