Há novamente “bola” no dia das eleições

Depois de nas legislativas os três grandes terem jogado em plena hora de votação ou à hora a que estavam a ser anunciados os resultados, nas presidenciais a situação vai repetir-se embora só com o Futebol Clube do Porto envolvido no que toca aos três maiores clubes. A Liga Portuguesa de Futebol foi assim “obrigada” a marcar os encontros para dia 24 de Janeiro devido aos regulamentos.

Liga Futebol PortugalNo comunicado difundido pela organização liderada pelo ex-árbitro Pedro Proença, a Liga de Futebol diz que “procedeu à antecipação das datas oficiais das jornadas das suas competições para o dia 23 de Janeiro de 2016, de forma a não coincidir a data oficial com o dia das eleições presidenciais”, mas ainda assim, “face às 72 horas de descanso regulamentares entre jogos de competições oficiais (partidas de dia 20 de janeiro referentes à segunda jornada, Fase 3, da Taça CTT e jornada 19 da Liga NOS), e mediante anuência de todas as Sociedades Desportivas participantes”, a estrutura marcou três encontros para o dia do acto eleitoral.

Assim os jogos agendados para 24 de Janeiro são o Belenenses frente ao Vitória de Guimarães, pelas 16h; o Braga frente ao Rio Ave, pelas 18h e o Futebol Clube do Porto frente ao Marítimo pelas 20h30, este último já depois da hora de encerramento das assembleias de voto.

Tal como nas eleições legislativas, ” a Liga Portugal solicitou e instruiu as Sociedades Desportivas em questão, no sentido de tomarem as devidas diligências, com relação aos cidadãos recenseados que integram as suas equipas, bem como todos os agentes que participam nos referidos jogos, poderem exercer o seu direito de voto junto das respetivas Câmaras Municipais”.

A estrutura de futebol profissional apela ainda aos sócios e adeptos das equipas que se desloquem aos estádios que “não deixem de exercer o seu direito e dever de voto”.

Descomplicador:

A Liga Portuguesa de Futebol voltou a marcar para o dia das eleições presidenciais três encontros do campeonato nacional. O Futebol Clube do Porto é o único dos três grandes envolvido. Nas eleições legislativas esta situação registou-se pela primeira vez.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *