Marcelo Rebelo de Sousa diz que Passos “deve querer manter-se afastado”

A presença de Pedro Passos Coelho na campanha presidencial de Marcelo Rebelo de Sousa só encontra paralelo nos últimos anos com as dúvidas sobre a presença de José Sócrates nas campanhas do Partido Socialista. Numa entrevista ao jornal Público, Marcelo Rebelo de Sousa disse que na sua leitura, “Passos Coelho deve querer manter-se afastado da campanha”.

Marcelo Rebelo de SousaO grande objectivo do mandato presidencial de Marcelo Rebelo de Sousa é criar “consensos de regime” e “quanto mais amplos melhores”. O candidato presidencial adianta ainda que quer “ajudar o mais possível o desempenho de funções pelo Governo”, acrescentando que se “o primeiro-ministro entender que é útil, muito bem, se não entende que seja útil, muito mal”.

Marcelo Rebelo de Sousa quer ter um papel mais interventivo junto do Governo deixando a imagem de não pretende ser um entrave ao desempenho das funções do executivo, mas que pretende estar próximo de António Costa, criando uma maior “proximidade no tratamento das questões, como as mais urgentes, melhor para a eficácia da actividade governativa”. Marcelo Rebelo de Sousa pretende assim ter um “contacto permanente e descomplexado com governo e partidos”.

Também o Conselho de Estado foi uma das questões abordadas na entrevista publicada hoje e que faz manchete do diário, com o favorito à vitória nas eleições a afirmar que pretende reunir o Conselho de Estado de forma “mais regular”, tendo como principal objectivo “desdramatizar”, tornando assim normal as reuniões deste órgão.

Quanto à campanha oficial, que começa no dia 10 de Janeiro e decorre até 22, Marcelo Rebelo de Sousa diz ainda não ter o planeamento concluído e só aí vai analisar se “faz sentido a presença de dirigentes partidários”, acrescentando quanto a Pedro Passos Coelho que não conta com a sua presença, tendo em conta que “quando disse que, por ele, não fazia questão de participar numa campanha que é independente, deve ter querido dizer que preferia manter-se distanciado da campanha presidencial”.

Descomplicador:

Marcelo Rebelo de Sousa pretende “desdramatizar” as reuniões do Conselho de Estado, tornando-o num órgão que reúna regularmente. O candidato presidencial vai também apostar na manutenção deste governo e tem como grande objectivo criar “consensos de regime”. Pedro Passos Coelho é a grande incógnita na sua campanha, mas deve manter-se afastado.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *