Paulo Portas despediu-se dos dirigentes centristas. O futuro começa agora

Nuno Melo e Assunção Cristas estiveram sentados lado a lado no Conselho Nacional do CDS que definiu os detalhes para o congresso que se vai realizar a 12 e 13 de Março. Será o primeiro sinal de união ou o último? Sobre o futuro, os dois putativos candidatos nada adiantaram dizendo que este é ainda “o tempo de Paulo Portas”.

Nuno Melo Assunção Cristas CDSFoi um Conselho Nacional emotivo o que decorreu ontem na sede do Caldas, a sede nacional do CDS e que agendou o congresso nacional dos centristas que vai assim decorrer a 12 e 13 de Março embora esteja ainda por definir o local, mas que à partida será no Porto ou em Lisboa.

O regulamento do congresso foi também aprovado no órgão máximo entre congressos, sendo de esperar a presença de 1200 delegados neste “conclave” do CDS. Paulo Portas aproveitou esta sua última reunião para fazer um balanço da sua liderança, numa noite onde foi ouvindo longos e sentidos aplausos por parte dos dirigentes do CDS.

Ao que avançou nas suas intervenções o CDS tem actualmente 36 mil militantes, para além da já falada nova geração de protagonistas políticos que apresenta já segundo o ainda líder “grande maturidade e responsabilidade”.

Aos jornalistas, Paulo Portas pediu para que não lhe perguntassem “o que estarei a fazer daqui a dez anos”, curiosamente a duração de dois mandatos presidenciais, adiantando apenas que continuará a ser militante do CDS. Já Telmo Correia destacou a noite de homenagem ao líder com mais tempo no cargo, dizendo que existiram “momentos emocionais, de emoção genuína, e particularmente sentidos”.

Foi ainda aprovada uma moção de louvor e agradecimento pelo trabalho desempenhado ao longo destes 16 anos por Paulo Portas.

Nuno Melo e Assunção Cristas estiveram a sós com Paulo Portas

Entretanto ao que avançou o Diário de Noticias, Paulo Portas promoveu esta semana encontros privados quer com Assunção Cristas quer com Nuno Melo. O líder do CDS jantou com o eurodeputado e esteve em casa da ex-Ministra da Agricultura, uma estratégia que dizem alguns dirigentes centristas ser “habitual” na liderança de Paulo Portas.

Neste Conselho Nacional nada foi adiantado quanto ao futuro com Nuno Melo e Assunção Cristas a repetirem o mesmo discurso o de que “este ainda é tempo de Paulo Portas”, escusando-se assim a comentar o futuro.

Filipe Anacoreta Correia, um dos símbolos da oposição interna de Paulo Portas disse que espera um congresso “muito vivo, animado e disputado”, adiantando ainda que espera mais do que uma candidatura.

Descomplicador:

Decorreu ontem o Conselho Nacional que marcou o congresso do CDS para 12 e 13 de Março. Numa reunião de homenagem a Paulo Portas, os putativos candidatos não falaram sobre o futuro, aproveitando apenas para elogiar o trabalho do ainda presidente centrista. Nuno Melo e Assunção Cristas estiveram sentados lado a lado.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *