Porto responde às perguntas da oposição. Lisboa com muitas respostas pendentes

De Lisboa ao Porto as diferenças não são só no estado do tempo ou no sotaque, nem sequer só na cor politica do executivo camarário (PS na capital e independentes no Porto), mas também no modo de agir perante os vereadores e deputados municipais da oposição. A autarquia de Rui Moreira tem respondido a todas as questões da oposição, enquanto em Lisboa, António Costa e Fernando Medina, deixaram e deixam muito por responder.

Fernando MedinaAs queixas maiores surgem do vereador do CDS na autarquia alfacinha, com João Gonçalves Pereira a garantir ao jornal Público que 80% dos pedidos de informação escrita apresentada em reunião de câmara ainda não foram respondidos. O Partido Comunista corrobora a informação, embora admita que a falta de resposta corresponde “apenas” a 60% dos pedidos.

Carlos Moura, vereador comunista na autarquia lisboeta acrescenta ainda que “o número de respostas é claramente insuficiente, cerca de um terço, e muitas delas chegam com um atraso superior a seis meses” e João Gonçalves Pereira do CDS especifica que “apresentámos 35 pedidos de informação escritos desde o início do mandato e só tivemos resposta a sete, ou seja 20%”.

A autarquia liderada por Fernando Medina anunciou recentemente a criação de um grupo de trabalho para melhorar a comunicação com o exterior e ser mais transparente com os eleitores lisboetas, iniciativa que o vereador centrista aplaude mas que avisa que “podia começar por informar devidamente os vereadores eleitos”.

João Gonçalves Pereira revela ainda ao jornal Público que o requerimento que aguarda resposta há mais tempo data de Dezembro de 2013 e que dos 14 enviados em 2014, apenas três foram respondidos, classificando o direito à informação na Câmara de Lisboa como “uma anedota” e não notando diferenças entre António Costa e Fernando Medina.

Na Assembleia Municipal a taxa de resposta aos requerimentos sobe, com 75% a estarem respondidos e 25% a aguardarem informação, segundo os próprios dados da Assembleia Municipal de Lisboa.

Rui MoreiraNo Porto, Rui Moreira marca a diferença pelo inverso, com a oposição a reconhecer que o actual presidente da autarquia responde a tudo. Aliás, segundo o Público, no Porto os requerimentos quase não são utilizados, com os vereadores e os deputados municipais a optarem pelas perguntas verbais que são sempre respondidas por Rui Moreira.

Nuno Santos, assessor de Rui Moreira com a área da comunicação diz ao jornal que “neste mandato não houve qualquer pedido de informação escrita de vereadores ou de deputados”, justificando que tal se deve ao facto de Rui Moreira participar “em todas as reuniões da câmara e da assembleia. Está lá do princípio ao fim e responde a todas as perguntas, oralmente, durante o tempo que for preciso”.

Esta tese é confirmada pelo líder da bancada comunista na Assembleia Municipal do Porto, Artur Ribeiro, acrescentando ainda que o vereador do PCP obteve respostas a todos os pedidos de informação por escrito.

Descomplicador:

Diferenças entre o Porto e Lisboa. António Costa e Fernando Medina têm uma baixa taxa de resposta aos vereadores e deputados municipais, enquanto no Porto, Rui Moreira tem respondido as todas as questões colocadas pela oposição. Em Lisboa, apenas na Assembleia Municipal os números são aceitáveis.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *