Paulo Portas violou embargo do Instituto Nacional de Estatística

À época Vice-Primeiro-Ministro, Paulo Portas violou um embargo de uma informação na posse do Instituto Nacional de Estatística (INE) e que era uma das mais importantes para o debate político. Esta violação levou o próprio Instituto Nacional de Estatística a rever a politica de divulgação da informação a pedido de Pedro Passos Coelho.

Paulo PortasO incidente com o Vice-Primeiro-Ministro aconteceu a 4 de Novembro de 2014 num comício da Juventude Popular em Lisboa, onde Paulo Portas revelou que a taxa de desemprego ia baixar violando assim a informação que obteve de forma privilegiada por ser membro do governo.

No dia seguinte à intervenção de Paulo Portas, o INE revelou novos dados sobre o desemprego, onde avançou que “a taxa de desemprego estimada para o terceiro trimestre de 2014 foi de 13,1%. Este valor é inferior em 0,8 pontos percentuais (p.p.) ao do trimestre anterior e em 2,4 p.p. ao do trimestre homólogo de 2013”, dados que se revelam à época bastante animadores.

Até ao dia 4 de Novembro era habitual algumas entidades do governo receberem a informação por parte do Instituto Nacional de Estatística no dia anterior ao que seria publicada. Após a divulgação da informação embargada foi o próprio Primeiro-Ministro, Pedro Passos Coelho a pedir mudanças na politica de actuação do INE.

Assim depois deste caso com Paulo Portas o Instituto Nacional de Estatística passou a enviar essa informação ao governo apenas no próprio dia da divulgação logo pelas 9h, quando os relatórios costumam sair horas mais tarde. A informação da taxa de desemprego é considerada uma das mais preponderantes no debate político pelo que a violação do embargo determinado pelo INE foi considerado ainda mais grave.

Descomplicador:

Paulo Portas violou num comício da Juventude Popular em Novembro de 2014 uma informação que obteve de forma privilegiada por ser membro do Governo. Este caso levou com que o INE alterasse a forma de divulgação antecipada dos dados do desemprego ao governo, a pedido de Pedro Passos Coelho.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *