18h50: Último apelo ao voto. Afluência muito reduzida

O Panorama acompanha o dia eleitoral com actualizações regulares para dar conta das principais novidades ao longo do dia. A partir das 19h45 estaremos em live blog ao longo da noite para acompanhar os resultados, as reacções dos candidatos e para recolher comentários à noite das Presidenciais 2016. Envia-nos também as tuas informações, comentários e opiniões através do Facebook ou no Twitter utilizando a hashtag #PRpanorama

Eleições Presidenciais 2016

18h50: O Panorama encerra aqui o acompanhamento do dia eleitoral. A partir das 19h45 estaremos em live blog com comentários e reacções aos resultados e aos discursos dos principais protagonistas da noite eleitoral.

17h30: Pelas 16h o valor de afluência às urnas é de 37,69% dos eleitores. Em 2011, à mesma hora, era de 35,16% e em 2006 era de 45,56%. Ao Panorama, Daniel Freitas, presidente da Federação Académica do Porto, diz em nome da iniciativa Reage. Vota que “O valor ainda se encontra bastante abaixo das expectativas. Neste momento crucial para o país e para os portugueses, apelo, essencialmente aos jovens e aos estudantes do ensino superior do nosso país que não fiquem indiferentes e que sintam que o seu voto faz a diferença” e que “ainda estão a tempo”.

16h25: Entretanto a Comissão Nacional de Eleições pediu aos meios de comunicação social que não divulguem as declarações de Paulo Portas por fazerem “propaganda indirecta” a um dos candidatos. O porta-voz da CNE, João Almeida disse que o “incidente” não era grave mas “era melhor que não tivesse acontecido”. Recorde-se que Paulo Portas apelou a uma resolução das eleições na primeira volta.

14h: O ainda Presidente da Republica votou antes das 14h na Lapa em Lisboa, dizendo apenas nesta sua última votação enquanto chefe de estado que já tem “direito a descanso”.

13h15: Entretanto os dados da abstenção saíram já a publico, com a afluência às urnas até às 12h a ser de 15,82%, um valor superior a 2011, mas inferior a 2006, onde a afluência às urnas era de 20% à mesma hora.

O candidato Jorge Sequeira votou pouco antes das 13h, mostrando-se “sereno” e dizendo esperar que “seja um dia de cidadania plena, de democraticidade”, dizendo ainda que “é incrível esta invenção da Humanidade que uma pessoa, só com uma caneta, pode fazer uma cruzinha e mudar o mundo”.

Marcelo Rebelo de Sousa votou à hora de almoço em Celorico de Basto, municipio onde apresentou a sua candidatura e onde encerrou a campanha, dizendo no fim de depositar o voto que está “esperançado que haja uma taxa de participação significativa”, dizendo-se ainda “serenamente confiante, acredito que os portugueses vão votar, acredito que essa votação é uma vitória da democracia”.

12h30: O ex-Primeiro-Ministro José Sócrates também já votou, pedindo que estas eleições “tragam uma característica essencial do Presidente da República: a imparcialidade”, uma caracteristica que diz “decisiva e tem faltado há muitos anos ao nosso país. O Presidente da República tem de ser o árbitro do sistema, há quem diga que isso é pouco mas isso é essencial”.

Também Mário Soares votou pelas 10h30 em Lisboa na Reitoria da Universidade de Lisboa.

11h30: António Sampaio da Nóvoa votou pouco depois das 11h em Oeiras. No momento em que depositou o voto ouviram-se alguns aplausos. Sampaio da Nóvoa disse ter “expectativas muito positivas”, apelando à participação dos portugueses. Para o candidato presidencial a “melhor maneira dos portugueses reforçarem a democracia é votarem”. Sampaio da Nóvoa acompanhará a noite eleitoral na sua sede em Lisboa.

O Primeiro-Ministro António Costa votou e falou ao mesmo tempo que Sampaio da Nóvoa. O PM votou em Sintra e reforçou a importância do papel do Presidente da Republica, ao dizer que “é importante que estejamos todos conscientes da importância do Presidente da República, como Comandante Supremo das Forças Armadas, como o garante do normal funcionamento das instituições democráticas e como representante de um conjunto de portugueses”, dizendo assim ser “essencial que haja uma participação muito activa nestas eleições”.

Maria de Belém, minutos depois também disse que “uma forte participação é sinal de uma boa democracia”, desejando que “muita gente participe” e considerando prematuro falar de resultados. Maria de Belém também acompanhará a noite na sua sede de campanha e diz estar de “consciência tranquila”.

Entretanto Henrique Neto votou no Chiado onde tem residência e disse apenas que “é muito importante que os portugueses votem hoje porque é uma forma de se responsabilizarem daquilo que acontecer no país nos próximos meses e anos”.

11h05: O líder do Partido Comunista Português, Jerónimo de Sousa, votou pelas 11h numa associação, esperando que “o povo português exerça o seu direito democrático”, apelando tal como todos os protagonistas políticos à participação dos eleitores neste acto eleitoral. Sobre uma segunda volta, Jerónimo de Sousa disse que é “ainda prematura”, acrescentando que “a grande sondagem está a ser feita neste momento”.

10h45: O ex-Primeiro-Ministro Pedro Passos Coelho disse esperar uma “participação elevada das pessoas”, classificando este acto como “muito importante”, acrescentando ainda que os próximos anos são “anos em que precisamos que a Presidência da Republica esteja em pleno das suas funções”. Passos Coelho votou em Massamá.

Entretanto na Madeira, Edgar Silva, apoiado pelo PCP também já votou. O militante comunista espera que o dia “seja marcado por uma grande participação eleitoral”, esperando que os “valores de Abril estando em causa possam hoje triunfar”. Edgar Silva irá acompanhar a noite eleitoral na Avenida da Liberdade na sede de candidatura, mostrando-se “confiante, como sempre estive”.

Cândido Ferreira votou em Pousos, Leiria, esperando que os “portugueses votem, apesar da falta de entusiasmo”, revelando ainda que ontem esteve doente e que se encontra a recuperar. Cândido Ferreira acompanhará a noite eleitoral num restaurante em Leiria.

10h25: Paulo Portas, ainda líder do CDS votou pelas 10h20 em Oeiras, nesta que será ao que tudo indica a sua última votação enquanto líder partidário. No final disse que “o Presidente da Republica é um cargo de elevada importância, e se houver uma boa participação hoje o assunto pode ficar resolvido à primeira volta”, acrescentando que é dos “acham que se se pode resolver à primeira volta não há necessidade de ir a uma segunda onde as coisas são mais incertas”. Paulo Portas vai assistir à noite eleitoral na sede do CDS, com alguns dirigentes do partido.

10h15: No Porto, pouco depois das 10h, votou Paulo Morais que no final disse aos jornalistas que “este é o dia mais importante da democracia” e que “cada voto conta”, acrescentando ainda que “os países mais desenvolvidos são aqueles em que mais pessoas participam nos actos eleitorais”. O candidato anti-corrupção como é apelidado, diz-se de “consciência tranquila” por ter “conseguido passar a mensagem”.

Poucos minutos depois foi a vez de Vitorino Silva, também conhecido como Tino de Rans, também votou, em Penafiel. O candidato presidencial que recebeu o boletim de voto das mãos da filha disse no final de ter votado que se “arrepiou” a depositar o boletim de voto, dizendo que “ao receber o boletim das mãos da minha filha, lembrei-me de todos os jovens do país”, apelando à participação dos mais jovens neste acto eleitoral. Vitorino Silva disse ainda acreditar que “vai haver pouca abstenção”.

Depois de Vitorino Silva foi a vez da candidata apoiada pelo Bloco de Esquerda, Marisa Matias ter votado em Coimbra. À imprensa disse sentir-se “confiante” e a esperar que a “solidão da cabine de voto as deixe votar livremente”, apelando também a uma forte participação eleitoral.

10h: O Instituto do Mar e da Atmosfera prevê bom tempo para todo o dia de Domingo. A temperatura mínima prevista é de 7º para Bragança e a máxima de 22º para Braga. Em Lisboa as temperaturas oscilam entre os 12 e os 20º e no Porto entre 13 e os 21º.

Os primeiros protestos surgiram na Trofa com as urnas a não abrirem pelas 8h como forma de protesto pela falta da linha de metro na cidade. O presidente da Junta do Muro disse à Agência Lusa que “não existem condições para realizar o ato eleitoral porque os locais de voto estão preparados, mas as pessoas que acompanham o ato não compareceram assim como não aparecem eleitores”.

Esta não é a primeira vez que os eleitores trofenses protestam em dia de actos eleitorais, acrescentando o presidente da Junta de Freguesia que o protesto está a ser pacífico resultando num simples “desprezo” dos eleitores pelo acto que está a decorrer em todo o país.

A líder do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, foi a primeira líder partidária a votar pouco passava das 9h em Vila Nova de Gaia, apelando ao voto dos eleitores porque “nada está ainda decidido”.

Entretanto nos Estados Unidos da América, alguns estados vão abrir as urnas apenas no próximo fim-de-semana devido ao mau tempo que se regista no país com queda de neve intensa, impossibilitando assim a abertura das assembleias de voto nalgumas zonas norte-americanas.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *