Portugal é o quarto pior país para se trabalhar

Portugal é o quarto pior país para se trabalhar segundo um estudo levado a cabo pela OCDE. Só a Grécia, a Espanha e a Turquia estão abaixo neste ranking divulgado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento (OCDE). Em sentido inverso, a Islândia é o melhor país para trabalhar.

OCDEPara este estudo, a OCDE mediu o desemprego de longa duração, a segurança laboral, a precariedade a a remuneração, classificando assim Portugal como o quarto pior país da OCDE para se ter uma carreira profissional. Entre as 34 maiores economias mundiais, Portugal regista 4,1 pontos, face a uma média de 6,6.

Ainda assim, existem três países com menos condições. A saber, a Espanha, com 2,4 pontos, a Turquia com 3,8 pontos e por fim a Grécia com apenas 1,4 pontos. A Espanha é ainda o país onde o medo de perder o emprego é mais elevado, registando o dobro dos valores registados em Portugal.

Em Portugal, o valor mais penalizador é o desemprego de longa duração, que regista o triplo da média da OCDE, registando também um rendimento per capita cerca de 20% abaixo da média da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento. Em Portugal, o rendimento per capita é de 18 mil euros, abaixo dos 23216 euros de média da OCDE.

A Islândia, pais que ficou em primeiro lugar, o medo de perder o emprego é de apenas 4,1%, o desemprego de longa duração é de 1,2% e a taxa de emprego é de 82%. Em segundo lugar nesta tabela ficou a Suíça, com a Alemanha a ficar pelo oitavo lugar.

Descomplicador:

Portugal é o quarto pior país da OCDE para se trabalhar. Abaixo de Portugal estão apenas a Espanha, a Turquia e a Grécia. Em sentido inverso, a Islândia foi considerado o melhor país para ter uma carreira profissional.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *