Bósnia pede adesão formal à União Europeia. Bruxelas considera que país ainda não está pronto

A Bósnia-Herzegovina pediu formalmente a sua adesão à União Europeia, apesar de Bruxelas considerar ainda que o país não está pronto para integrar a comunidade. Ainda assim, os responsáveis executivos bósnios sabem que “este será um ano difícil”, na tentativa de reunir todas as condições para integrar a União Europeia.

Bósnia-HerzegovinaEconomia, justiça e direitos humanos, são as três áreas chave da Bósnia-Herzegovina caso queira reunir as principais condições exigidas pelos países europeus. Ainda o mês passado se comentava em Bruxelas, segundo a agência Reuters, que o país não reunia as condições para integrar a comunidade europeia. O que se teme é que o caso da Bósnia siga o exemplo da Turquia que está há anos a tentar cumprir todas as condições para integrar a União Europeia.

Dragan Covic, presidente em exercício na Bósnia admitiu mesmo que este “será um ano difícil”, reforçando a necessidade de acelerar o sector económico do país para cumprir os principio da modernização. No entanto, a par da economia, em Novembro de 2015 a União Europeia defendeu num relatório que a Bósnia tem de fazer também avanços significativos na liberdade de expressão e nos direitos humanos, para além do combate à corrupção.

Em Bruxelas, vários diplomatas europeus abordaram a questão da Bósnia-Herzegovina estar abaixo dos seus vizinhos da região dos Balcãs. A presidência europeia a cargo da Holanda não deverá assim levar o tema da adesão da Bósnia para “cima da mesa” até obter o apoio da maioria dos países, esperando assim os desenvolvimentos económicos e sociais no país, segundo avança também a agência Reuters.

O pedido formal de adesão da Bósnia-Herzegovina à União Europeia deu-se ontem, um dia antes de uma reunião entre ministros europeus, que entre outros temas vai debater também a questão do alargamento europeu, devendo de forma informal debater a questão da Bósnia.

Descomplicador:

A Bósnia-Herzegovina pediu ontem formalmente a sua adesão à União Europeia. Ainda assim a União Europeia escreveu num relatório o ano passado que o país está atrás dos seus vizinhos da região dos Balcãs, necessitando de evoluir no sector económico, na área dos direitos humanos e na justiça.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *