Oposição interna de Paulo Portas apoia Assunção Cristas

O cenário começa a ficar cada vez mais claro no seio do CDS. Depois de Nuno Melo ter sido o primeiro a afastar-se da corrida, dando espaço a Assunção Cristas, ontem Filipe Anacoreta Correia, líder do movimento Alternativa e Responsabilidade, de oposição interna a Paulo Portas, colocou-se também ao lado da única candidata à liderança até ao momento.

Anacoreta CorreiaEra uma das poucas dúvidas que ainda restava quanto à discussão da liderança do CDS, mas o líder do movimento de oposição interna a Paulo Portas parece estar também ao lado de Assunção Cristas ao abdicar de apresentar um candidato e apoiar até ao momento aquela que é a única candidata à liderança do partido. Ainda assim o movimento Alternativa e Responsabilidade (MAR) não vai deixar de apresentar uma moção de estratégia global.

Ao Observador, Filipe Anacoreta Correia disse que Assunção Cristas é “uma candidata forte” e com “vontade de trabalhar com todos”, acrescentando ainda que a deputada centrista “é a pessoa em melhores condições para liderar o partido”, podendo ainda “ter em conta a fragilidade do Governo no poder e de ela ser uma boa candidata a primeira-ministra”, esclarece o advogado e militante do CDS.

O líder da tendência de alternativa a Paulo Portas decidiu não avançar por ter recebido por parte de Assunção Cristas, sinais de que a candidata “não vai excluir ninguém” e de que “está disposta a trabalhar com todos”, introduzindo ainda mudanças no partido que vão ao encontro dos desejos do movimento encabeçado por Anacoreta Correia que afirmou que “Paulo Portas foi um líder que centralizou muito e sempre critiquei esse aspecto. Assunção Cristas quer reforçar os órgãos do partido”, justifica.

Mesmo sem se candidatar à liderança do CDS, o Movimento Alternativa e Responsabilidade vai apresentar uma moção de estratégia global (uma proposta de programa de acção do partido) no congresso que se vai realizar nos dias 12 e 13 de Março em Gondomar.

Curiosamente, quando Paulo Portas renunciar ao seu lugar como deputado na Assembleia da Republica, será substituído por Filipe Anacoreta Correia, que ocupou já este lugar quando Paulo Portas ocupou durante duas semanas o lugar de Vice-Primeiro-Ministro após as eleições de 4 de Outubro.

Descomplicador:

Filipe Anacoreta Correia, líder do movimento de oposição interna a Paulo Portas esclareceu que não se vai candidatar à liderança do CDS, apoiando Assunção Cristas que deverá assim ser candidata única no congresso do partido. Ainda assim o movimento Alternativa e Responsabilidade vai apresentar uma moção de estratégia global no congresso.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *