Seis meses depois da “identidade significativa”, Ferreira Leite manda calar António Costa

Numa entrevista publicada em Agosto do ano passado, numa aproximação ao eleitorado social-democrata, o agora Primeiro-Ministro, António Costa disse ao Sol ter “do ponto de vista programático, sobretudo com a doutora Manuela Ferreira Leite, que é uma pessoa mais moderada, digamos há uma identidade de ponto de vistas hoje muito significativa”. Agora, seis meses depois Manuela Ferreira Leite diz que António Costa “devia ter estado calado” no que toca ao assunto: Banco de Portugal.

Manuela Ferreira LeiteNo seu espaço de comentário semanal na TVI24, Manuela Ferreira Leite começa por admitir que António Costa esteja “cheio de razão” no que toca às dificuldades de resolução dos problemas do BES, mas logo acrescentou que ” nenhum Primeiro-Ministro pode dizer aquilo que o nosso Primeiro-Ministro disse”, acerca do governador do Banco de Portugal, Carlos Costa.

Para a ex-líder do PSD, António Costa devia ter conversado com Carlos Costa “dentro de quatro paredes” e não em público, onde não mostrou respeito “por uma instituição que tem que respeitar”. Para Manuela Ferreira Leite, “muito mais importante que as décimas do Orçamento que precisam de ser alcançadas é exactamente esta questão do Banco de Portugal” que está assim relacionada com a credibilidade portuguesa face às instituições externas.

A ex-Ministra da Educação e das Finanças disse ainda que esta “guerra aberta” entre o governo e o Banco de Portugal “é muito má do ponto de vista democrático”, considerando que António Costa “devia ter estado calado” ou “se queria dizer coisas em público arranjava alguém, um porta-voz, mais ou menos irresponsável que fosse dizer o que quisesse para a televisão ou para os órgãos de comunicação social”.

Em Agosto, António Costa tinha afastado a possibilidade de incluir num governo seu o nome de Pacheco Pereira, mas mostrou proximidade a Manuela Ferreira Leite de quem disse ter “uma identidade de ponto de vistas hoje muito significativa”.

Descomplicador:

Seis meses depois de António Costa ter dito ao jornal Sol que tinha uma “identidade programática” muito significativa com Manuela Ferreira Leite, ontem a ex-líder do PSD disse que António Costa “devia ter estado calado” no que toca ao assunto do Banco de Portugal.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *