Bashar Al-Assad quer ser conhecido como “a pessoa que salvou a Síria”

Bashar Al-Assad quer ficar na história como “a pessoa que salvou a Síria” sem que para isso tenha que passar mais dez anos no poder, disse recentemente o presidente sírio. Assad criticou os mais de 80 países que têm apoiado a oposição ao longo dos últimos tempos. Em entrevista ao El País, o presidente da Síria não revelou quais os seus planos para o futuro.

Bashar Al AssadAssad que é para alguns dos países da “coligação internacional” que está a combater o Estado Islâmico, também um problema, disse ao El País que “daqui a dez anos” quer ter sido “capaz de salvar a Síria”, não significando para isso que continue “a ser presidente”, garantiu.

Bashar Al-Assad é presidente da Síria desde 2000 e não avançou se pretende continuar mais uma década no poder, avançado apenas que o seu “dever” é “salvar o país”, querendo ficar na história como o responsável por tal feito. Assad coloca assim a questão nas mãos do povo sírio, afirmando que “se o povo sírio me quiser no poder, eu estarei. Se eles não me quiserem, não posso fazer nada, quer dizer, não posso ajudar o meu país, por isso tenho que sair imediatamente”.

O presidente sírio disse ainda estar “preparado para um cessar-fogo”, mas adiantou que só o fará quando tiver garantias de que tal “não será aproveitado pelos terroristas”, lançando aqui um recado à vizinha Turquia, sobre quem disse esperar que pare de enviar “mais recrutas, mais terroristas, mais armamento, ou qualquer outro tipo de apoio logístico a esses terroristas”.

Descomplicador:

Bashar Al-Assad, presidente da Síria, disse ao El Pais que quer ficar na história como “a pessoa que salvou o país”, não adiantando no entanto se para cumprir tal objectivo se vai manter no poder. Assad disse ainda estar preparado para um cessar-fogo, mas que só o fará caso outros países deixem de apoiar os terroristas.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *