Portugal vai avançar com candidatura à CPLP, mas espera muitas dificuldades

O Ministério dos Negócios Estrangeiros, liderado por Augusto Santos Silva, vai avançar com uma candidatura portuguesa à liderança da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), esperando no entanto algumas dificuldades, devido à oposição liderada pelo Secretário-Executivo da oposição.

CPLPSegundo fonte do Ministério dos Negócios Estrangeiros ao Diário de Noticias, “Portugal não tem conhecimento de nenhum acordo verbal” que o impeça de apresentar uma candidatura à liderança da comunidade. Murade Murargy, Secretário-Executivo da CPLP diz que o país onde está localizada a sede não se pode candidatar, mas tal opinião não é reconhecida por Portugal.

Aliás, os estatutos da Comunidade de Países de Língua Portuguesa dizem que a liderança da comunidade se faz em sistema rotativo e por ordem alfabética, sendo o próximo mandato atribuído a Portugal, segundo essas indicações. Ainda assim a ideia do Secretário-Executivo, conquista o apoio do Brasil e de Angola, segundo avança a última edição do semanário Sol e de Cabo Verde, segundo avança a Agência Lusa.

Por parte de Angola esta seria mais uma forma de pressão às autoridades portuguesas devido ao processo sobre Manuel Vicente, vice-presidente do país, enquanto o Brasil liderado por Dilma Roussef sempre desvalorizou a CPLP.

António Monteiro, ex-Ministro dos Negócios Estrangeiros e considerado o pai da CPLP, ao Diário de Noticias, “não existe qualquer acordo verbal nesse sentido”, acrescentando ainda que a “sede foi instalada em Portugal por unanimidade”.

Segundo algumas fontes próximas do ministério tutelado por Augusto Santos Silva, os nomes que estão na linha da frente para assumir o cargo são Vitor Ramalho, presidente da Unidade de Cidades Capitais de Língua Portuguesa, João Gomes Cravinho, ex-Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação e Luís Campos Ferreira, que ocupou o mesmo cargo de João Gomes Cravinho, mas no governo de Pedro Passos Coelho. Os dois primeiros nomes integram a ala socialista.

Descomplicador:

Portugal vai mesmo avançar com uma candidatura à liderança da CPLP apesar do actual Secretário-Executivo ter falado num acordo verbal que o impede. Ainda assim, os estatutos prevêem que a próxima liderança será mesmo a portuguesa.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *