O gabinete da Primeira-Dama fechou. Voltará?

Maria Cavaco SilvaMaria Cavaco Silva ocupou o papel de Primeira-Dama nos últimos dez anos, dando seguimento a uma tradição de décadas. Agora, Marcelo Rebelo de Sousa é o primeiro presidente na era democrática que encerrou o gabinete da Primeira-Dama e muitos dos candidatos das ultimas eleições presidenciais mostraram vontade em seguir a linha do actual Presidente da Republica.

Edgar Silva, candidato apoiado pelo PCP era aliás dos poucos candidatos que garantiu manter o gabinete de Primeira-Dama, com os principais favoritos (Marcelo, Sampaio da Nóvoa e Maria de Belém) a darem por encerrado este capítulo logo nos primeiros dias de campanha, embora Maria de Belém por motivos óbvios.

Apesar de não ser um cargo oficial, que a Constituição não prevê no seu texto, o papel de Primeira-Dama tem vindo a conquistar importância ao longo dos anos até ao encerramento decretado por Marcelo Rebelo de Sousa. Manuela Eanes e Maria Barroso foram as duas Primeiras-Damas da democracia e Maria José Ritta e Maria Cavaco Silva mantinham agendas paralelas e nunca falhavam no acompanhamento ao Chefe de Estado.

Manuela EanesManuela Eanes foi até preponderante na ascenção do Partido Democrático Renovador que Ramalho Eanes fundou enquanto Presidente da Republica, participando em diversas acções de campanha. Enquanto Primeira-Dama fundou ainda o Instituto de Apoio à Criança em 1983.

Maria Barroso recebeu o titulo de “eterna Primeira-Dama” e durante o seu “mandato” fundou ou dirigiu o Colégio Moderno, a Associação para o Estudo e Prevenção da Violência, a Fundação Pro Dignitate e a presidência da Cruz Vermelha Portuguesa.

À revista Caras, Marcelo Rebelo de Sousa disse há meses atrás que “cargo é cargo, família é família”, acrescentando que “não havendo primeira-dama, eu exercerei o cargo naturalmente, como acontece em muitas democracias”. A situação de Marcelo Rebelo de Sousa é aliás mais complicada, tendo em conta que o actual Presidente da Republica é divorciado mas mantém um relacionamento há décadas com a advogada Rita Cabral.

Maria Barroso 2Maria Cavaco Silva dedicou-se ao longo dos últimos dez anos a instituições ligadas à família e às crianças desprotegidas, seguindo uma linha de apoio social que as Primeiras-Damas sempre seguiram. As Primeiras-Damas mantêm assim esse foco mais social, reservando espaço mediático para as iniciativas às quais o Presidente da Republica não consegue dar resposta por limitações de agenda. Apesar de ter direito a um gabinete na Casa Civil da Presidência da República, a Primeira-Dama não é remunerada, exercendo o “cargo” por opção.

Lucrécia de ArriagaLucrécia Arriaga, mulher de Manuel de Arriaga foi a primeira Primeira-Dama portuguesa, tendo no entanto optado por se manter na “sombra”, num mandato onde apareceu em público raras vezes. Gertrudes Thomaz, mulher de Américo Thomaz, que foi Chefe de Estado durante o Estado Novo, participou em várias acções de solidariedade e eventos religiosos, tendo sempre acompanhado o Presidente da República, com quem acabou por ir para o exílio após o 25 de Abril.

Agora que Marcelo Rebelo de Sousa deu por encerrado o Gabinete do Cônjuge, resta saber se o cargo de Primeira-Dama voltará ao activo dentro de cinco, ou dez anos, como indica a tradição.

Descomplicador:

Marcelo Rebelo de Sousa é o Presidente da Republica responsável pelo encerramento do gabinete da Primeira-Dama. Depois de décadas em que as mulheres dos presidentes foram ganhando relevância, agora o cargo informal será encerrado.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *