Um ano de Panorama

Miguel DiasO Panorama comemora hoje os primeiros 365 dias da sua existência. Este foi um dos anos mais desafiantes da politica nacional que nós, Panorama tivemos o privilégio de viver na fila da frente.

Viver duas eleições no espaço de 365 dias, aliados a um período de indefinição politica foi uma oportunidade única e que dificilmente se voltará a viver nos tempos mais próximos. O Panorama esteve na linha da frente nos dois actos eleitorais, procurando oferecer uma cobertura diferente, que dê voz e espaço aos jovens e a quem não tem tanto espaço mediático.

Nessa medida, tanto nas legislativas como nas presidenciais o balanço pessoal que faço é extremamente positivo, com a aposta nos live blogs nas noites eleitorais e que constituíram os dois dias com mais visitantes do nosso projecto.

Falar de politica não entusiasma, não é cool nem gera likes, dai que a resiliência da equipa do Panorama ao longo dos últimos doze meses fosse também um dos nossos segredos para o sucesso. Trabalhar nas noites eleitorais ou nas campanhas é o mais fácil e mais interessante. Dificil é fazê-lo nos meses de Verão ou nos Sábados de sol e mesmo assim explicar o resgate ao Banif ou a crise dos refugiados. Nós fizémo-lo numa prova inexcedível de empenho de todos.

O primeiro ano é ainda assim o ano mais fácil após o lançamento. É o ano da descoberta, da novidade. O desafio no próximo ano e nos anos subsequentes é o de manter o interesse e a inovação. Nesse sentido, deixo uma palavra muito forte aos nossos cronistas. Jovens das associações académicas, das juventudes partidárias, empresários e activistas que são uma amostra do que de bom há no país. São eles que na maioria das vezes conhecem melhor os temas e que mais força têm para “mudar as coisas”. Grande parte do sucesso do ano inaugural deve-se a eles. Aos que têm emprestado o seu conhecimento e a sua opinião a um projecto que está a dar os primeiros passos.

Este próximo ano será assim um ano de desafios. A comemoração de efemérides é também tempo de balanços e o Panorama sabe por onde tem que ir. Tem que apostar em conteúdos multimédia. Em ter mais áudio, mais imagens e vídeo. Temos que continuar a procurar os jovens valores, seja na opinião seja no jornalismo e sobretudo temos que continuar à procura de mais estórias.

O nosso papel deve ser esse: o de tornar a politica mais interessante, menos técnica e mais prática, procurando assim gerar mais interesse junto do que nos seguem e tentando captar novas audiências.

Por último, os mais importantes: os nossos leitores pelos comentários ao longo do último ano, pelas contribuições e sobretudo pela companhia. O nosso salário são as vossas visitas. Para o ano marcamos encontro no mesmo local, com uma nova fasquia.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *