Sanders ganha balão de oxigénio com Washington, Havai e Alasca

O candidato às primárias democratas nos Estados Unidos da América, ganhou ontem um balão de oxigénio para a ponta final desta fase eleitoral ao vencer nos estados de Washington, Alasca e Havai. Ainda assim a vantagem de Hillary Clinton é já suficiente para garantir a nomeação a não ser que existam grandes surpresas.

Bernie SandersEm Washington, na costa ocidental dos Estados Unidos, Bernie conquistou 74% dos eleitores, percentagem que aumentou para 79% no Alasca e mais de 70% no Havai. Washington é uma importante conquista, tendo em conta que vale 101 delegados, bem mais que o Alasca, 16 e que o Havai, que conta com 25 delegados.

Estas vitórias podem significar um importante acréscimo de doações para a fase final das primárias norte-americanas, com Bernie Sanders a aproveitar o balanço, ao dizer que “dificilmente podem negar que a nossa campanha ganhou um novo impulso” e procurando convencer o eleitorado que “estamos a fazer incursões significativas na liderança da Secretária Clinton” e que “temos um caminho traçado para a vitória”.

Ainda assim, apesar destas últimas vitórias, Hillary mantém a maioria dos delegados com 1288 a que soma 469 “super-delegados”, enquanto Bernie Sanders tem 947 delegados mas apenas 27 “super-delegados”. Neste momento Hillary Cliton tem aproximadamente 80% dos delegados que necessita para conquistar a nomeação, quando faltam ainda os estados que mais delegados atribuem como Nova Iorque e Califórnia.

Segundo explica Germano Almeida, autor do livro “Histórias da Casa Branca”, Bernie Sanders tinha “apostado forte no Oeste” onde o eleitorado caucasiano lhe era mais favorável, apontando os “negros e hispânicos mais favoráveis a Hillary Clinton”. Assim estas vitórias para Bernie Sanders servirão sobretudo para “dar fôlego ao senador do Vermont para prosseguir a corrida até à Convenção de Filadélfia”, segundo refere na análise publicada na sua página do Facebook.

Descomplicador:

Bernie Sanders conquistou ontem os estados de Washington, Alasca e Havai, ganhando assim um importante balão de oxigénio para a fase final das primárias. Ainda assim Hillary Cliton tem já uma vantagem praticamente inultrapassável, sobretudo devido à vantagem de “super-delegados” que tem sobre Sanders.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *