António José Seguro recebe “banho” de PS na sessão em Almeirim

António José Seguro diz aos “sete ventos” não querer voltar à vida partidária, até porque politica existe fora dos partidos. No entanto, desde o lançamento do livro “A reforma do Parlamento português”, inspirado na sua tese de mestrado, Seguro deixou já algumas “farpas” a António Costa e Marcelo Rebelo de Sousa e ontem em Almeirim levou um verdadeiro banho de PS, com a presença de vários dirigentes e militantes consagrados do distrito de Santarém.

António José SeguroCerca de 80 pessoas receberam ontem o ex-Secretário-Geral do PS, António José Seguro, que debateu a reforma do Parlamento com o vice-presidente da Assembleia da Republica e deputado comunista, António Filipe. A sessão, promovida pela Câmara Municipal de Almeirim, foi moderada pelo presidente da autarquia, Pedro Ribeiro, amigo de António José Seguro desde os tempos da Juventude Socialista e seu apoiante desde a primeira hora.

Na plateia estavam para além dos responsáveis locais do PS e da JS de Almeirim, a ex-deputada e governadora civil Sónia Sanfona, o ex-presidente da Entidade de Turismo de Lisboa e Vale do Tejo, Joaquim Rosa do Céu, o ex-presidente da Câmara de Santarém e actual presidente do PS Santarém, Rui Barreiro, bem como o seu antecessor, Carlos Nestal.

A par dos dirigentes distritais e militantes do distrito, estava também presente o “homem do aparelho” das lideranças de António José Seguro, Miguel Laranjeiro, que assistiu à sessão e no fim esteve sempre perto do ex-Secretário-Geral socialista.

“O Parlamento português é bastante generoso com as minorias e isso é o maior elogio que se pode fazer”

António José SeguroQuanto ao debate propriamente dito, António José Seguro destacou as principais melhorias no funcionamento do Parlamento nacional, com destaque para “a possibilidade dos ministros serem chamados às comissões” e a “existência de prazos para os ministros responderem às questões colocadas pelos deputados”. Para o ex-lider socialista, “em democracia não pode haver poder sem controlo”, acrescentando que “o Parlamento português é bastante generoso com as minorias e isto é um dos maiores elogios que se pode fazer”.

Já em resposta às questões colocadas pelo público, António José Seguro considera que o Parlamento “deve deixar de competir com o governo para ver quem legisla mais” e que uma boa solução para aproximar os partidos dos cidadãos é a possibilidade de “entre os candidatos do partido, os eleitores escolherem o seu deputado”.

“A vida parlamentar continua à margem do regimento da Assembleia da Republica”

António Filipe PCPO deputado do PCP eleito por Santarém, António Filipe, estabeleceu o contraponto com o que funcionou bem na reforma, abordando as áreas onde esta reforma liderada por António José Seguro não foi suficientemente abrangente. O deputado comunista lembrou que há anos atrás “as perguntas orais ao governo tinham de ser indicadas com uma semana de antecedência, o que permitia aos governos aparecer no Parlamento já com a solução”.

António Filipe deixou no entanto criticas à ex-Presidente da Assembleia da Republica, Assunção Esteves, que foi conivente com a tentativa de boicote da maioria PSD/CDS à ida de ministros às comissões parlamentares. Ainda assim, para António Filipe a maior falha desta reforma foi a “falta de estabilização da vida parlamentar”, tendo em conta que “a vida parlamentar continua à margem do regimento do Parlamento”.

O exemplo dado por António Filipe foi a “vulgarização das recomendações ao governo, uma figura que não existe no regimento e que caso o governo não cumpra não prevê nenhuma penalização para o executivo”, acrescentando que “casos destes fazem com que os cidadãos se sintam defraudados”, levando a que o “Parlamento, como entidade mais exposta, seja muitas vezes visto como “o mau da fita”.

Descomplicador:

António José Seguro marcou ontem presença em Almeirim para um debate com António Filipe, deputado do PCP, à volta do seu livro sobre a reforma no Parlamento. Na plateia estavam várias figuras do PS distrital, entre eles alguns dos dirigentes da actualidade.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *