“Keep cool, keep calm”. Cinco destaques do segundo dia do Congresso do PSD

O 36º congresso do PSD tem decorrido desde a manhã na Nave Desportiva de Espinho e apesar de não ter sido visto à partida como um congresso interessante, a verdade é que num partido como o PSD existem sempre um conjunto de momentos a destacar. Pedro Santana Lopes é o único ex-presidente presente e Aguiar-Branco, ex-concorrente contra Passos Coelho em 2010 foi um dos seus maiores apoiantes. O Panorama destaca alguns dos momentos do dia.

1 – Nova Comissão Politica com paridade nos vice-presidentes. Maria Luís Albuquerque ganha destaque

Maria Luis AlbuquerqueMaria Luís Albuquerque, ex-Ministra das Finanças acaba mesmo por ganhar destaque na Comissão Politica Nacional de Pedro Passos Coelho. A par de Maria Luís, Teresa Leal Coelho, Marco António Costa e Jorge Moreira da Silva mantêm os lugares de vice-presidentes. As novidades nesta listão são Sofia Galvão e Teresa Morais, que foi cabeça-de-lista por Leiria e Secretária de Estado nos últimos quatro anos.

Da vice-presidência sai Carlos Carreiras, que vai coordenar o gabinete autárquico, José Matos Correia, que vai dirigir o Conselho Estratégico, um órgão que Passos pretende que tenha mais importância e ainda Pedro Pinto, que passou para a jurisdição. No Conselho Nacional, Miguel Relvas cedeu assim o lugar a Luis Marques Guedes, que vai encabeçar este órgão na lista afecta ao presidente do partido. Fernando Ruas mantém-se como presidente do congresso.

2 – Pedro Santana Lopes deixa um forte apoio a Passos Coelho e fortes criticas a Rio, Ferreira Leite e Pacheco Pereira

Pedro Santana LopesSobre as autárquicas “nem ai nem ui”. Pedro Santana Lopes disse apenas aos congressistas: “keep cool”, não avançando se está disponível ou não, mas não tendo fechado a porta. O discurso do único ex-presidente do partido presente no congresso foi de apoio total a Pedro Passos Coelho e de critica a Manuela Ferreira Leite, Rui Rio e Pacheco Pereira.

Para Manuela Ferreira Leite, Santana Lopes disse que “era o que faltava. Não vir aqui ao Congresso, dizendo que Espinho fica muito longe”, virando-se depois para Rui Rio ao colocar a pergunta retórica: “Depois pensei, será que se for ofusco o líder?”. Para último ficou Pacheco Pereira, com o ex-Primeiro-Ministro a dizer que “seja qual for o momento da nossa vida todos sabemos onde pertencemos” e que tem assim “pena que todos aqueles que teceram criticas às opções do PSD não tenham tido disponibilidade para estar aqui hoje. Quem arranja tempo para estar em comícios com os partidos da esquerda radical na Aula Magna também tem que estar nos Congressos do seu partido”.

O ex-presidente do partido comparou mesmo Passos Coelho a Sá Carneiro, dizendo que “é quem é, tem o seu caminho, é por aquele que vai”, dizendo que mesmo que existissem outros candidatos, teria votado em Passos Coelho “por convicção”.

3 – Aguiar Branco desafia opositores de Passos a candidatarem-se às autárquicas

Aguiar BrancoFoi uma estratégia sui-géneris a de José Pedro Aguiar-Branco, que em 2010 foi candidato à liderança do PSD contra Passos Coelho. O também ex-Ministro da Defesa desafiou os opositores do líder dos sociais-democratas: José Eduardo Martins e Pedro Duarte, a candidatarem-se às eleições autárquicas de 2017 em Lisboa e no Porto.

“Caros barões, enfant terribles, ausentes deste congresso, têm que ir a votos. Ou vão a votos ou calem-se para sempre”, começou por dizer Aguiar-Branco, perguntando mais à frente se “alguém tem dúvidas que José Eduardo Martins é um grande candidato à Câmara de Lisboa e Pedro Duarte à Câmara do Porto? Eu não tenho dúvidas nenhumas”, concluiu.

Aguiar-Branco disse ele próprio estar disponível para as próximas autárquicas, embora para a Assembleia Municipal e recordou ainda a estratégia de “Marcelo Rebelo de Sousa em 1997, quando liderava o partido e pôs todos os principais dirigentes a serem candidatos a câmaras. Até José Luís Arnaut a Mértola, onde o resultado não foi espectacular”.

4 – Eduardo Martins deixa recados à liderança actual. Pedro Duarte critica….António Costa

José Eduardo Martins PSDAs criticas a Pedro Passos Coelho chegaram apenas por intermédio de José Eduardo Martins já que a outra voz dissonante, Pedro Duarte criticou sim, mas António Costa e não a liderança dos sociais-democratas. Eduardo Martins afirmou que “o PSD está paulatinamente a perder a sua relação com os pensionistas”, acrescentando que “o passado orgulha-nos, mas não mobiliza ninguém”.

Já Pedro Duarte, ex-líder da JSD e director de campanha de Marcelo Rebelo de Sousa, que tem sido uma voz dissonante da liderança de Passos Coelho optou antes por criticar António Costa, que acusou de ser um “catavento”, palavra que Passos usou para se referir a Marcelo no congresso anterior e deixando um conjunto de propostas para o futuro, nomeadamente a reforma do sistema de ensino e a procura da descentralização para o país.

5 – Penalização dos deputados madeirenses é tema tabu no congresso

Miguel AlbuquerqueAs penalizações a Rubina Berardo, Sara Madruga da Costa e Paulo Neves têm sido um tema tabu neste 36º congresso do PSD. Os três deputados do PSD Madeira foram destituídos dos cargos no grupo parlamentar devido ao facto de terem violado a disciplina de voto no Orçamento Rectificativo, que permitiu o resgate do BANIF.

Hoje a Sábado avançou que os deputados foram acusados pelo Conselho Nacional de Jurisdição de “rebelião” e incorrem agora numa pena que pode ir de advertência escrita a expulsão do partido. Entretanto o líder do PSD Madeira, Miguel Albuquerque, disse ao Observador que “é evidente que posso compreender que possa ter violado alguns princípios da disciplina. Mas o Banif tinha e tem um peso determinante na economia da região. É muito importante o vínculo dos deputados, não à direcção partidária mas aos círculos em que são eleitos”.

Miguel Albuquerque disse ainda não acreditar que os deputados venham a ser punidos, acreditando que o caso acabará por ser arquivado sem grandes penalizações para o trio de deputados madeirenses.

Descomplicador:

O 36º congresso do PSD tem tido as autárquicas como tema de destaque, com Aguiar-Branco a desafiar José Eduardo Martins e Pedro Duarte a candidatarem-se. Pedro Santana Lopes, o único ex-presidente do partido presente, foi um dos grandes apoios do dia a Pedro Passos Coelho.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *