Comissão do Trabalho e da Segurança Social com ânimos exaltados

“Psicótico”. Foi esta a palavra que levou a bancada do PSD, por intermédio do deputado Adão Silva dizer à deputada do Partido Socialista, Wanda Guimarães que “não lhe aceito, eu não lhe tolero, que a senhora em circunstância nenhuma me trate a mim e aos meus colegas do PSD como psicóticos”. O deputado do Bloco de Esquerda, Jorge Falcato tentou acalmar os ânimos.

Adão Silva Wanda GuimarãesNa audição ao Ministro do Trabalho e da Segurança Social, José Vieira da Silva, a deputada socialista disse após duas horas e meia de debate que “as direitas – e neste caso estou-me a referir àquela que saiu adornada de social-democracia no último congresso do PSD – têm mudado, de facto, o seu comportamento”, dizendo que: “Primeiro assistimos a uma grande agressividade e agora passou para o que eu chamaria de transtorno psicótico político. Atenção, político”, sublinhou a deputada eleita por Lisboa.

Adão e Silva não gostou da expressão utilizada pela deputada socialista e na intervenção seguinte disse em tom crítico que “não lhe aceito, eu não lhe tolero, que a senhora em circunstância nenhuma me trate a mim e aos meus colegas do PSD como psicóticos”, acrescentando até que “a comissão estava decorrer nos termos em que devia decorrer e vossa excelência não tem o direito, nem tem sequer a categoria para insultar o grupo parlamentar do PSD”.

Adão e Silva continuou com as críticas a Wanda Guimarães dizendo ainda que “Com a expressão que usou acaba a insultar o trabalho que tem sido feito na comissão pelo ministro da Segurança Social e ele, seguramente, não merecia esta expressão errática e esta nódoa no meio desta intervenção”. Wanda Guimarães voltou a não deixar Adão Silva sem resposta e ainda acrescentou que “se gosta mais de autismo do que de transtorno psicótico, pronto”.

Descomplicador:

Os ânimos exaltaram-se esta tarde na Assembleia da Republica na audição ao Ministro do Trabalho e da Segurança Social, Vieira da Silva. Uma “picardia” entre a deputada Wanda Guimarães do PS e Adão Silva do PSD, após a deputada socialista ter dito que os sociais-democratas sofriam de ” transtorno psicótico político”.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *