Eleições Autárquicas: o futuro de Passos Coelho e a política de proximidade

“As autárquicas começam a ser discutidas aqui”, esta foi uma frase proferida em uníssono na sessão de abertura deste 24º Congresso Nacional da JSD. Desde o desfecho das últimas legislativas que se adivinhava que este seria um tema dominante tanto no Congresso Nacional do PSD como no da Juventude Social Democrata. As concelhias e distritais sabiam-no e trouxeram duas moções sectoriais sobre o tema, “Autárquicas, o segredo está na proximidade!”, apresentada por Andreia Filipa Bernardo e “Participação dos jovens no meio social das suas comunidades e na sustentabilidade do tecido associativo local”, apresentada por Álvaro Ferreira.

Os dois congressistas partiram de um mote comum, que quase parecia combinado. Ao Panorama ambos disseram que as eleições do próximo ano são um grande teste para o PSD e que podem mesmo vir a ser determinantes no futuro de Pedro Passos Coelho à frente do partido.

Andreia Bernardo JSD As autárquicas funcionam de forma diferente. Álvaro Ferreira, Presidente da JSD de Oliveira do Bairro e membro da Distrital de Aveiro, diz que “nas juntas e nas câmaras o nome da pessoa, e o facto de ser uma pessoa que na esfera profissional e humana é reconhecida pela comunidade, tem muito mais impacto que o partido”. Algo com que Andreia Filipa Bernardo, Presidente da JSD de Sintra, concorda, mas que no seu concelho, que se divide em duas grande áreas, um rural e outra urbana, coloca grandes dificuldades, “se o candidato for alguém de renome, mas que não seja conhecido a nível local é muito mais complicado de criar ligação com as pessoas, sobretudo na área rural”. Andreia sente muito essa disparidade uma vez que uma pessoa de renome pode ter um grande impacto na zona urbana de Sintra, mas não na zona rural. Pelo contrário, afirma que uma pessoa da região, que não seja tão conhecida, especialmente a nível mediático, pode conseguir criar uma maior ligação com as pessoas na área rural, mas não ter tanta visibilidade junto da zona urbana.

Ambas as moções apresentadas defendem uma maior aproximação dos jovens do poder local e das associações para que lhes seja dada responsabilidade e gosto pelo ‘bichinho’ da política. A presidente da JSD de Sintra afirma que nem todas as pessoas têm de ser filiadas num partido para que possam dar o seu contributo, defendendo uma política de partido aberto em que todos podem participar e apresentar propostas, ao lado, ou não, da JSD.

Álvaro Ferreira JSDEm Aveiro, Álvaro Ferreira diz que tem havido um grande contributo da JSD de Aveiro para varias vitórias nas últimas eleições, e dá o exemplo das últimas legislativas de 4 de outubro nas quais a JSD de Aveiro conseguiu eleger um deputado. Agora o Presidente da JSD de Oliveira do Bairro quer alargar esse contributo ás autarquias, mas lembra que os jovens não devem ocupar lugares cimeiros “apenas porque são jovens”, relembrando que “fruto do elevado grau académico de muitos jovens que constituem a JSD, muitos saíram dos concelhos de onde são naturais para irem estudar para outras zonas onde a realidade pode ser bem diferente. O subscritor da moção “Participação dos jovens no meio social das suas comunidades e na sustentabilidade do tecido associativo local”, lembra ainda que se deve aproveitar os fins de ciclos de Câmaras Municipais, Assembleias Municipais, Juntas de Freguesia e Assembleias de Freguesia para fazer um “refresh” e poder introduzir jovens “com provas dadas e com mérito”.

Na moção “Autárquicas, o segredo está na proximidade, para além do associativismo e da participação de jovens na política é discutida ainda a taxa de abstenção. Para combater o número de pessoas, sobretudo de jovens que “num dia de sol prefere ir para a praia em vez de votar porque acham que o seu voto não vai ter qualquer tipo de repercussão”, Andreia Filipa Bernardo propõe, por exemplo, benefícios fiscais ao nível do IMI, atribuídos pelas autarquias, criando uma ideia de política de retorno que, na sua opinião, pode levar a uma maior afluência às urnas, num “sentimento de reciprocidade que pode ajudar a alterar mentalidades”.

“Ganhar todas as Câmaras e Juntas”, são palavras da Presidente da JSD de Sintra e que acabam por resumir o sentimento de partida na preparação das autárquicas do próximo ano.

O Panorama marca presença este fim-de-semana no congresso nacional da Juventude Social Democrata, na Batalha

Descomplicador:

A importância das próximas eleições autárquicas não passou ao lado do congresso nacional da JSD. Os jovens sociais-democratas colocam uma grande importância neste acto eleitoral e reclamam mais lugares para os jovens qualificados e “não apenas por serem jovens”.

ygztbykr@eelmail.com'
Publicado por: Tomás Gomes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *