Actualizado: Congresso JSD: Baixa votação não afasta entusiasmo para anos decisivos

A lista encabeçada por Simão Ribeiro era única mas não foi por isso que a votação foi unânime. Apenas 42% dos congressistas com poder voto acabaram por votar na lista A, numa afluência às urnas de 65%. As autárquicas são a grande aposta deste mandato, com a JSD a querer mostrar as “excelentes ideias para os municípios portugueses e os jovens quadros de muito valor”.

Simão Cristóvão Ribeiro Congresso JSDPara a Comissão Politica Nacional (CPN) votaram na lista A 257 dos 603 militantes inscritos no congresso, registando-se 103 votos brancos e 36 votos nulos. Foram ainda a votos a mesa do congresso (301 votos), o conselho de jurisdição (283 votos), o conselho nacional (307 votos) e a comissão eleitoral independente (287 votos), registando-se assim o menor número de votos na Comissão Politica Nacional, o órgão executivo da “jota” social-democrata.

As autárquicas foram um dos temas mais falados no congresso nacional e segundo o recém-eleito vice-presidente da CPN, Tiago Carrão, ao Panorama, para a JSD este é um “tema incontornável”, onde a estrutura quer mostrar as “excelentes ideias para os municípios portugueses e os jovens quadros de muito valor. Temos um enorme contributo a dar ao PSD e a Portugal nas eleições autárquicas de 2017”, diz o também presidente da distrital de Santarém.

Assim, e num momento onde o PSD é oposição, Tiago Carrão defende que “se o futuro aos jovens pertence, também o presente nos pertence”, procurando assim a JSD defender “reformas estruturais, ainda necessárias, em vários sectores, desde a Educação ao Emprego, do Sistema Democrático à Coesão Territorial e, por último, o Papel do Estado, em áreas como a Saúde, a Justiça e os Serviços do Estado”.

Esta representação das propostas da Juventude Social Democrata será feita por intermédio dos deputados jovens, ” onde estamos muito bem representados”, segundo o agora vice-presidente nacional da estrutura, que adianta ainda que os sociais-democratas não podem “nunca permitir que o futuro de Portugal e dos jovens seja hipotecado no presente para fins eleitorais” e que “a JSD não é, nem nunca poderá ser, um mero espectador. A JSD tem que ser ativa e mobilizadora e eu acredito muito nesta nova geração política, não só com um maior sentido crítico mas com uma maior dinâmica e vontade de fazer”.

“Julgo ser importante revermos o modelo do Congresso”

Tiago CarrãoÀ semelhança do que disse o presidente da JSD ao Panorama, Tiago Carrão afirma também que é “importante revermos o modelo do Congresso”, fruto das “quase 60 Propostas Políticas Setoriais” que foram debatidas ao longo dos três dias de trabalho.

Para o jovem dirigente nacional esta é assim uma oportunidade para “devido a esta riqueza de conteúdos, julgo ser importante revermos o modelo do Congresso, para permitir aprofundar ainda mais os temas”, elogiando no entanto a pluralidade dentro da estrutura que a torna mais capaz de “identificarmos os problemas do nosso país, de encontrarmos soluções e de nos batermos por elas”.

Actualização: “A JSD é a consciência critica do PSD”

Pedro PimpãoPedro Pimpão, deputado eleito pelo distrito de Leiria e ex-dirigente da JSD esteve presente no congresso da JSD e no final, em declarações ao Panorama disse que “a JSD é a consciência critica da PSD e uma grande escola de quadros, daí que seja nestas duas formas que reside o papel da JSD para o futuro do PSD, ou seja, na apresentação de ideias inovadoras e mobilizadoras e no aparecimento de novos rostos que contribuam para a modernização e renovação das nossas estruturas”.

Para o deputado social-democrata, é importante que a estrutura consiga dar seguimento às propostas apresentadas no congresso, “com iniciativas no parlamento onde a JSD conta com deputados com muita qualidade e competência”, acrescentando ainda que o número de propostas apresentadas é “um sinal muito positivo e que evidencia a transversalidade das políticas e das preocupações da juventude que estão necessariamente divididas por diversos sectores que se cruzam”.

O Panorama marca presença este fim-de-semana no congresso nacional da Juventude Social Democrata, na Batalha

Descomplicador:

A lista liderada por Simão Ribeiro, que se apresentou sem concorrência ao congresso da JSD registou apenas 42% dos votos, sendo de todos os órgãos o que recebeu menos votos. O congresso ficou marcado pelo tema das autárquicas, onde segundo Tiago Carrão, a JSD a quer mostrar as “excelentes ideias para os municípios portugueses e os jovens quadros de muito valor”.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *