“A crença na humanidade” reuniu centenas em defesa de Luaty Beirão

João Semedo, ex-coordenador do Bloco de Esquerda e Bárbara Bulhosa, editora da Tinta da China promoveram ontem no Fórum Lisboa uma sessão pública de apoio à “Libertação de Angola” e que nem de propósito, decorreu no dia em que se soube que Luaty Beirão entrou novamente em greve de fome, nudez e palavras.

Luaty Beirão AngolaA irmã de Luaty Beirão subiu ao palco para colocar a plateia a par das mais recentes novidades, embora também ela não tivesse grandes detalhes sobre a situação do activista angolano, adiantando que Luaty e os restantes 16 activistas foram “levados à força” da prisão para um hospital prisional e que Luaty teria assim entrado em greve de fome, recusando-se a vestir e a falar.

O advogado Ricardo Sá Fernandes garantiu que os portugueses “estão com eles até que a justiça seja feita” e a escritora Lídia Jorge lamentou que a “oligarquia angolana se tenha transformado numa tirania”, acrescentando que “é em nome da crença na humanidade que devemos continuar a apoiá-los”.

A eurodeputada Marisa Matias foi uma das oradoras que arrancou mais aplausos do público presente afirmou que diariamente “se continua a fazer um ultraje à memória do MPLA, onde as siglas e os símbolos se transformaram nos carcereiros do movimento de libertação” dizendo ainda que “um país que oprime o seu povo não é um país livre”. Com um tom mais partidário, Marisa Matias disse ainda que “ser de esquerda não é desculpa para oprimir, é aliás uma responsabilidade ainda maior”.

Isabel Moreira, deputada socialista, criticou a actuação do Parlamento português quando o PSD e o CDS não votaram a favor do voto de reprovação sobre os activistas angolanos, dizendo que “nesse dia, o nosso Parlamento foi o Parlamento errado” e mostrando-se satisfeita com a moldura humano, que ainda assim era menos composta do que na primeira iniciativa organizada há uns meses atrás.

O humorista Ricardo Araújo Pereira foi o último a intervir, lendo uma crónica sua relativamente ao caso de Luaty Beirão, arrancando risos e gargalhadas ao longo de toda a intervenção. A sessão pública encerrou com um momento musical.

Descomplicador:

Várias personalidades intervieram ontem em Lisboa em defesa de Luaty Beirão e dos activistas angolanos que estão detidos em Angola. O músico angolano está novamente em greve de fome, nudez e palavras.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *