Áustria pode eleger o primeiro presidente da extrema-direita na Europa

13262532_1284182621595188_1746240525_oA segunda volta das eleições presidenciais austríacas realiza-se neste domingo e o país está dividido entre opções opostas. As sondagens apontam para a vitória de Norbert Hofer, que pode vir a tornar-se no primeiro presidente da extrema-direita na Europa.

Norbert Hofer é candidato pelo Partido da Liberdade (FPO) e vai enfrentar Alexander Van Der Bellen, um independente de 72 anos afeto ao Partido Ecologista, onde chegou a ser líder no passado. Estes dois nomes surgem de lados diferentes do espectro político e as sondagens têm dado vantagem ao primeiro.

Na primeira volta das eleições Hofer obteve 36% dos votos, números insuficientes para ser eleito presidente de imediato. Ainda assim, é considerado um verdadeiro terramoto político: tem 45 anos, e representa uma faixa conservadora mais jovem da política que ascendeu em detrimento à velha guarda desgastada da extrema-direita. Defende uma posição mais radical face à crise do fluxo migratório que tem assolado a Europa, de tal forma que quer consultar a população para proibir a construção de mesquitas na Áustria. Apesar disso, tem mantido um discurso mais pseudo-moderado: diz que não pretende convocar um referendo, uma consulta popular, acerca da permanência do país na União Europeia, nem abolir o espaço Schengen.

A par do adversário, conseguiu afastar os partidos vencedores tradicionais, e está assim no caminho para se tornar no presidente da Áustria. Este domingo terá de enfrentar Alexander Van Der Bellen, já que nem tudo está garantido. O candidato independente conseguiu perto de 21% na primeira volta das eleições, com ideias opostas à do concorrente.

Van Der Bellen é defensor de uma Europa unida, e procura captar o eleitorado da terceira candidata na primeira volta (uma antiga juíza do Supremo Tribunal, Irmgard Griss), que conquistou 19% dos votos. Além dela, procura apoio nos dois partidos que governam o país em coligação: os Sociais Democratas e os conservadores, que não conseguiram levar os respetivos candidatos representantes à segunda volta.

Com a vitória de Norbert Hofer, a Áustria torna-se no primeiro país a eleger um Presidente da extrema-direita. Ainda assim, é um mero reflexo da ascensão de ideias desta área polícia no resto da Europa. Por outro lado, a vitória do candidato está a preocupar os restantes líderes europeus, de tal forma que o Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Jucker, já veio confessar publicamente que apoia o ecologista Alexander Van Der Bellen.

Descomplicador:

A Áustria pode eleger o primeiro presidente de extrema-direita da Europa. Norbert Hofer é o conservador que lidera as sondagens e que adota agora um discurso mais moderado, apesar de querer proibir as mesquitas no país.

zdkoexdm@anappthat.com'
Publicado por: Luís Fernandes

19 anos. Estudante de jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social em Lisboa. Desde cedo que soube o caminho que queria trilhar e que passava, sem qualquer dúvida, pela comunicação: o jornalismo - a vontade de informar, a forma de oferecer a quem lê, ouve ou vê, uma oportunidade para mudar e fazer mudar. Atualmente é coordenador dos Noticiários da ESCS FM e colabora com a ESCS Magazine.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *